Com a renúncia de Luis Gustavo Cancellier, Jair Nandi (PSD) passa a ser o prefeito definitivo de Urussanga. O vice já estava na condição de prefeito interino desde o dia 16 de abril, quando Cancellier foi afastado da função após ser preso preventivamente na Operação Terra Nostra. A renúncia do então prefeito afastado foi comunicada oficialmente no fim da tarde dessa segunda-feira, dia 1°. Em entrevista, Nandi afirmou que dará continuidade ao trabalho que já vinha sendo realizado. Agora, com a certeza de que irá terminar o restante do mandato sem a possibilidade de retornar ao cargo de vice com a volta de Cancellier. “É continuar focado no trabalho, cuidar de todas as pastas do município de Urussanga, de Infraestrutura, Cultura, Saúde, continuar melhorando a cada dia para que o urussanguense seja bem atendido”, destacou.

Nandi ainda comentou sobre deixar no passado os fatos políticos que mancharam a história de Urussanga. “Cabe a nós agora, nesse momento, fazer com que a gente recupere todo esse tempo tomando decisões duras, fazendo com que a máquina pública trabalhe de forma mais célere e atenda bem o urussanguense”, disse o prefeito. O assunto foi abordado em entrevista no programa Comando Marconi. Ouça a conversa com o prefeito Nandi na íntegra:

 

De acordo com o presidente da Câmara de Vereadores, Fabiano Murialdo de Bona (PL), um rito de posse do prefeito Nandi deve acontecer. A equipe do Legislativo ainda confirmará quando a posse irá ocorrer, se será nesta terça, dia 2, ou quarta-feira, dia 3. “Claro que fica uma mancha na história do município, é uma renúncia, a gente sabe os motivos, os reais motivos, mas vida que segue, acredito que o Nandi está aí, já está trabalhando e o vice é para isso, na ausência do titular o vice assume, e o Nandi tem feito isso muito bem”, comentou Fabiano.

Uma Comissão de Investigação e Processante (CIP) contra Luis Gustavo estava ocorrendo no Legislativo. Com a renúncia, as testemunhas que seriam ouvidas nesta quarta e quinta-feira, dias 3 e 4, serão dispensadas. De acordo com o presidente da CIP, vereador Caio De Noni (MDB), a comissão irá se reunir ainda para decidir se os trabalhos de investigação irão continuar ou não, ou seja, se a CIP será arquivada. O assunto também foi abordado em entrevista com os vereadores Fabiano e Caio. Confira:

 

Acesse também:

Vereador Elson Roberto Ramos ainda não pagou fiança e segue preso