A cidade de Forquilhinha reabriu o Aeroporto Diomício Freitas nesta semana. A reabertura das operações aconteceu na última quarta-feira, dia 11. Com a conclusão das obras de revitalização, o local volta a receber as operações de pouso e decolagem e atender as atividades de aviação geral. O Governo do Estado investiu R$ 17 milhões para a recuperação asfáltica da pista de pouso e decolagem, taxiway, acesso aos hangares, pátio de estacionamento de aeronaves e readequação da faixa de pista, cerca patrimonial e implantação de via de inspeção. O governador Jorginho Mello foi representado no ato pelo secretário de Portos, Aeroportos e Ferrovias (SPAF), Beto Martins.

O aeroporto estava sem operações desde janeiro de 2022, quando iniciaram as obras. Ainda no mês de dezembro do mesmo ano os trabalhos foram paralisados por iniciativa da empresa contratada. “A retomada das obras foi uma das primeiras missões que recebemos do governador Jorginho Mello quando assumimos a secretaria. Fizemos a rescisão do contrato com a empresa que desistiu da obra e conduzimos o processo para que uma nova empresa assumisse o trabalho. A segunda colocada não teve interesse e finalmente em maio a Setep assumiu e concluiu a obra remanescente”, relata o secretário Beto Martins.

Forquilhinha é um dos três aeroportos administrados pelo governo catarinense, que tem a outorga federal para a gestão. A previsão é que seja subdelegado para a administração municipal, seguindo o modelo que é adotado em outros 13 aeroportos no estado. “É uma conquista para o município e para a região. A reabertura era muito esperada e confirma o compromisso do governo com a conclusão da obra”, disse o prefeito de Forquilhinha, José Cláudio Gonçalves, o Neguinho, que também entregou ao delegado geral da Polícia Civil de SC, Ulisses Gabriel, o projeto para as futuras instalações do Saer/Sarasul.

A reabertura também foi comemorada pelos usuários do Aeroporto. “A volta das operações é muito significativa para os usuários do Aeroporto e para toda a região. O governador criou uma secretaria para dar protagonismo a um setor que merece toda a atenção e tem grande importância para a logística do estado”, avalizou o empresário Ricardo Brandão.

O aeroporto possui pista de pouso e decolagem asfaltada de 1.568 metros de comprimento por 30 metros de largura. Antes da paralisação das obras, processava mais de 200 movimentos mensais na área de formação de pessoal para a aviação civil, voos executivos, transporte de enfermos e órgãos e segurança pública.

Com informações da Agência Catarinense de Notícias