A desembargadora aposentada Salete Sommariva, coordenadora honorária da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica (Cevid), do TJSC, estará em Criciúma, Forquilhinha, Sombrio, Santa Rosa do Sul, Turvo, Meleiro e Araranguá na quarta e quinta-feira, dias 18 e 19. Ela vai divulgar e debater com magistrados, secretários de saúde e da assistência social e integrantes da rede de apoio à campanha Sinal Vermelho. Os encontros serão realizados no salão do Tribunal do Júri das comarcas.

Idealizada pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a ação estabelece condições para que as mulheres denunciem agressões em qualquer estabelecimento público ou privado vinculado à iniciativa. Funciona assim: a vítima faz um xis com batom vermelho (ou qualquer outro material) na palma da mão ou num pedaço de papel e mostra ao atendente, que aciona a Polícia Militar. O assunto foi abordado em entrevista no Comando Marconi. Ouça:

 

De acordo com Roselene Silveira, servidora da Cevid que também participará da viagem, o objetivo é simples: “quanto mais pessoas souberem da possibilidade de denunciar agressores com um sinal na palma da mão, mais mulheres poderão ser salvas e mais infratores serão punidos”. Além de falar da campanha específica, o périplo irá fomentar e fortalecer políticas institucionais e públicas que auxiliem no enfrentamento da violência de gênero. “Por isso”, reforça a desembargadora Salete, “é fundamental que todas e todos os envolvidos com o tema participem”.

A campanha tem integrado os poderes e a sociedade na luta para tirar o país do estigma de ser o quinto mais perigoso do mundo para a vida das mulheres.

Com informações do TJSC