A Justiça julgou como improcedente um processo movido pela prefeitura de Urussanga, na gestão de Luis Gustavo Cancellier, contra a Rádio Fundação Marconi. O processo é ligado a uma notícia veiculada pela emissora, em outubro de 2023, sobre o campeonato de futsal. Na época, um jornalista da Rádio Marconi publicou uma matéria destacando a falta de pagamento por parte da prefeitura à arbitragem. A prefeitura de Urussanga acusou a emissora de estar divulgando desinformações sobre o assunto, tendo, inclusive, alegado ser “Fake News” nas redes sociais oficiais da administração. Essa alegação ainda chegou a ser encaminhada a diversos veículos de comunicação da região, prejudicando o trabalho da Rádio Marconi para a imprensa regional.

Além da publicação acusando a emissora de mentir sobre o assunto, a prefeitura de Urussanga, na gestão de Luis Gustavo, utilizou o Instagram oficial para fazer uma transmissão ao vivo atacando a Rádio Marconi e tentando descredibilizar profissionais da emissora. A transmissão foi conduzida pelo até então assessor de comunicação, Marcial David Murara, o Xixo. Além desses dois fatos, a assessoria de comunicação emitiu um comunicado proibindo pessoas ligadas à prefeitura, sejam secretários, diretores ou servidores, de conceder entrevista à Rádio Marconi. Essa proibição de participação na emissora foi, inclusive, encaminhada para outros veículos de comunicação da região, que não possuíam conhecimento da situação que estava ocorrendo no município.

A matéria publicada pela Rádio Marconi é: Municipal de Futsal de Urussanga corre o risco de parar por falta de pagamento a arbitragem

Na decisão, a 2ª Vara da Comarca de Urussanga entende que a matéria realizada pela Rádio Marconi “teve o condão de informar um acontecimento e o direito à informação é garantido constitucionalmente”. Além disso, o juiz Roque Lopedote entendeu que “não há indicativos de que a parte ré pretendia divulgar informação que sabia ser inverídica”. No processo, a prefeitura de Urussanga, na época em que o prefeito era Luis Gustavo Cancellier, pedia a exclusão da matéria no portal de notícias. Na decisão, o pedido de exclusão não procedeu. Ainda na decisão, a Justiça condenou o município de Urussanga ao pagamento dos custos processuais em favor da Rádio Marconi, no valor de R$ 1 mil.

O então assessor Xixo, assim como o prefeito Luis Gustavo, foram dois dos quatro alvos da Operação Terra Nostra, que investigou a compra de lotes superfaturados pela prefeitura. Xixo teve a prisão revertida e o prefeito Luis Gustavo está em prisão domiciliar após a defesa alegar um infarto.

Veja um trecho da decisão em favor da Rádio Marconi:

Confira também:

Nota de esclarecimento: Rádio Marconi não divulga desinformações