Um dos principais assuntos que marcou a última reunião dos vereadores de Urussanga foi a rejeição de um projeto que concedia abono de férias e décimo terceiro salário aos agentes políticos da cidade. Em entrevista, o presidente do Legislativo, vereador Daniel Rejes Pereira Moraes (PSD), explicou que o projeto continha o reajuste salarial dos servidores públicos, que era a pauta mais importante.

“A prefeitura teve quatro meses para mandar esse projeto, e mandaram no último dia 11 pedindo pressa no projeto. Só que a gente sabe que um projeto tão relevante, um projeto tão importante que é o aumento para os servidores, são quem realmente merece, a gente tem que ter um olhar minucioso”, explicou. “Eu pedi para a minha assessoria fazer uma análise minuciosa no projeto, onde achamos essa parte que daria abono de férias para agentes políticos, ou seja, eu vereador, prefeito, vice, cargos comissionados teriam direito a isso, porque hoje não tem esse privilégio. Isso é legal? é legal, mas para mim é muito imoral”, completou.

O assunto foi destaque em entrevista, Ouça:

 

Após a análise, o presidente comunicou os outros vereadores, que concordaram em votar contra essa parte do projeto. “O interesse do projeto é votar o aumento dos servidores, que é 3,74% da inflação, mais 1,76% no ganho real, que isso totaliza 5,5%, que eu acho que é pouco, eu acho que deveria ser um pouco mais”, contou. Por conta da parte que concedia benefícios para políticos que o projeto não foi votado. “Foi meio que um gato ensacado, para poder a gente votar e não perceber”, alegou Daniel.

Uma emenda retificadora será feita, para que a parte do projeto seja retirada e votada apenas o reajuste dos servidores. “Ainda hoje está quase finalizada e vai ser protocolado, e a gente vai votar hoje esse projeto para não estar prejudicando os servidores”, afirmou. Uma reunião extraordinária será feita nesta quinta-feira, dia 20, às 18h30.

Leia mais:

Vereadores de Urussanga rejeitam abono de férias e décimo terceiro para agentes políticos