Há poucos dias do tempo litúrgico da Quaresma, período que antecede a Páscoa e que os católicos vivenciam buscando a conversão pessoal, comunitária e social, a Igreja também se prepara para vivenciar a Campanha da Fraternidade (CF). Promovida anualmente pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a campanha sempre apresenta um contexto para ser aprofundado nas comunidades, paróquias, dioceses e por todas as pessoas de boa vontade. Com o tema Fraternidade e Fome, a edição de 2023 tem como lema as palavras de Jesus aos seus discípulos: “Dai-lhes vós mesmos de comer” (Mt, 14,16).

Segundo dados da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN), estima-se que atualmente no Brasil 33,1 milhões de pessoas estão passando fome e mais da metade da população do país, 125,2 milhões de pessoas, enfrenta algum grau de insegurança alimentar, ou seja, sem acesso regular e permanente aos alimentos. Segundo o relatório, considerando todas as regiões do país, em média, 3 em cada 10 famílias vivem a incerteza do acesso aos alimentos em um futuro próximo e preocupam-se se a quantidade será suficiente num futuro imediato.

“Assim como Jesus fez o milagre diante da multidão faminta e disse aos seus discípulos para alimentar o povo, todos são chamados a terem compaixão e ação para minimizar a problemática da fome”, destaca Dom Jacinto Inacio Flach, bispo da Diocese de Criciúma. O epíscopo lembra ainda que a campanha também nos aponta para a Páscoa, o mistério da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor Jesus Cristo. “Que a vida nova que recordamos na Páscoa possa ser enaltecida com os efeitos da Campanha da Fraternidade, proporcionando uma nova realidade aos irmãos e irmãs que passam por necessidades”.

Formação para multiplicadores

A Diocese de Criciúma promoveu dois estudos no mês de fevereiro e que abrangeram todas as paróquias buscando preparar lideranças regionais, diocesanas, paroquiais e comunitárias para desenvolver a Campanha da Fraternidade em suas realidades concretas, através de uma reflexão fundamentada na Palavra de Deus.

“A campanha não se encerra no período quaresmal, o seu sentido deve continuar provocando mudanças e ser uma proposta de conversão pessoal e coletiva”, pontuou padre Anésio Ferla, que visitou a diocese para ministrar os estudos e integra a equipe de coordenação da Campanha da Fraternidade 2023. “A partir do Evangelho de Jesus Cristo somos todos convidados a compreender a realidade e investir em esforços concretos que superem a miséria e a fome”, disse o sacerdote.

A Igreja e o tema da fome

Pela terceira vez a fome é tratada pela Igreja no Brasil através da Campanha da Fraternidade. A primeira foi em 1975, com o tema ‘Fraternidade é repartir’ e o lema ‘Repartir o pão’, no clima do Ano Eucarístico que precedeu o Congresso Eucarístico Nacional de Manaus. A segunda foi em 1985, outro Ano Eucarístico, desta vez em preparação para o Congresso Eucarístico de Aparecida, com o lema ‘Pão para quem tem fome’. Agora, em 2023, logo após o 18º Congresso Eucarístico Nacional, realizado em Recife, sob o tema ‘Pão em todas as mesas’, a Igreja no Brasil enfrenta pela terceira vez o flagelo da fome.

A responsabilidade mútua 

O Texto-Base da Campanha da Fraternidade 2023 propõe despertar o espírito de caridade e compromisso que deve estar presente em todos que querem ser discípulos de Jesus. A mensagem aborda ainda que “a fome é um instinto natural de sobrevivência presente em todos os seres vivos. Contudo, na sociedade humana, a fome é uma tragédia, um escândalo, é a negação da própria existência”.

Quarta-feira de Cinzas

Como já é de costume, diversas celebrações e missas estão agendadas para a quarta-feira (22), por ocasião do dia em que a Igreja celebra o rito de bênção e imposição das cinzas sobre os fiéis, o primeiro dia do período quaresmal e abertura da campanha. Na Catedral São José haverá três missas, às 7h30, 15h e às 19h30. No Santuário Diocesano do Sagrado Coração Misericordioso de Jesus, em Içara, as missas acontecem às 6h, 15h e 19 horas. No Santuário Diocesano Nossa Senhora de Caravaggio, em Nova Veneza, as celebrações serão às 7h e 19h30 e em Araranguá, no Santuário Paróquia Nossa Senhora Mãe dos Homens, as missas serão às 6h30, 12h30 e às 19h30.

Colaboração: Diocese de Criciúma

Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba as principais notícias que foram destaques na programação da Marconi 99.9 FM.