Por: Edi Carlos De Rezende

No amanhecer desta segunda-feira (16), os profissionais do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), se depararam com as paredes do Posto de Saúde pichadas. De acordo com o Assistente Social, Thiago Stopassolli, o vandalismo foi praticado, provavelmente, entre a noite de sexta-feira (13) e madrugada de domingo (15).

A parede dos fundos do Posto de Saúde do Centro (que divide os dois espaços) foi pichada com os numerais 4:20 (que faz referência ao uso da maconha), além da sigla PGC e os dizeres “bala na cara”. Segundo Thiago, os vândalos tentaram por fogo em uma lâmpada de emergência, jogando ela no lixo ao lado da recepção. “Além de tudo isso, alguns pneus que estavam sendo guardados para pintarmos e utilizarmos como decoração e plantio de flores foram revirados. É uma situação delicada e que nos incomoda, porque eles ainda chegaram a defecar na parede e no pátio do CAPS, é lamentável”, desabafa o profissional.

Ainda de acordo com o Assistente Social, estes atos de depredação já foram observados em outras vezes. Até bujões de gás de cozinha foram furtados do local. Neste ano já levaram quatro deles, mesmo com a casinha de armazenamento lacrada (estouraram o cadeado e levaram bujão). Em outra oportunidade os marginais entraram na sede do CAPS e furtaram um computador e um micro-ondas, relata ele.

 

Confira nas imagens:

Ginásio também é alvo

O Repórter Marconi, Edi Carlos de Rezende, constatou que a parede dos fundos do Ginásio de Esportes Centenário também está pichada. Segundo Thiago, a pichação no ginásio  foi notada no último mês.

O que diz a lei

O código penal, na lei nº 2.848/40, relata que dano ao patrimônio público é crime. No artigo 163 está escrito que “destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia está sujeito a detenção, de um (1) a seis (6) meses, ou multa.

Imagens e Texto: Edi Carlos De Rezende