A situação da rodovia Giovane Baldessar está preocupando os moradores e motoristas que trafegam pelo trecho. Acidentes frequentemente são registrados na via, que possui muita umidade na pista além de ter uma curva sinuosa, no qual muitos condutores se perdem ao trafegar pela região. Há 19 dias, uma mulher sofreu um acidente de carro com um caminhão na rodovia, no qual ficou gravemente ferida. A vítima ainda está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Samanta Scussel é moradora do bairro Pirago e usa a rodovia todos os dias. Em março, quando estava já no último mês da gravidez, sofreu um acidente no trecho com um outro veículo. Ela conta que estava subindo um morro quando outro carro desceu o trecho desgovernado em sua direção. “Eu tentei tirei o máximo, mas ali não tem acostamento, não tem nem aonde as pessoas transitarem, pedestres, se eu fosse tirar eu ia cair nas árvores, lá embaixo tem o rio, eu tentei tirar ao máximo, só que mesmo assim com essa pista escorregadia devido ali a uma umidade, não sei o que acontece, pegou a lateral do meu carro, e rodei na pista, foi airbag pra tudo quanto é lado e meu carro deu perda total”, disse.

Anderson Luis Robl é primo de Luana, a mulher que sofreu acidente e está na UTI. Para ele, que também utiliza a rodovia, a colocação de sinalização para reduzir a velocidade não seria tão útil para os moradores, que já são acostumados com o trecho. “A condição mais segura aí é você ter uma interferência na velocidade da via pública, redutores de velocidades, lombadas físicas mesmo, entendeu? Coisas que venham a reduzir de fato a velocidade”, comentou. O assunto foi abordado em entrevista no programa Comando Marconi. Entenda:

Parte 01

 

Parte 02

 

Segundo Samanta, cerca de 30 acidentes foram registrados em menos de um ano. Para os moradores, somente imprudência dos motoristas não pode justificar o tanto de casos. “Quando você tem essa estatística, com esse número de incidentes, inclusive com vítima fatal no começo do ano e com a gravidade desse acidente da Luana, eu entendo que nós, como pessoas civis, somos vítimas daquele trecho. Então, se existe uma imprudência, eu diria até irresponsabilidade, essa irresponsabilidade é do poder público que não tomou ainda nenhuma ação para resolver aquela situação”, afirmou Anderson.

No dia 13 de junho a Rádio Marconi realizou uma entrevista com o responsável pela Defesa Civil e pelo Departamento de Trânsito que falou sobre a rodovia. Entenda:

Rodovia Giovane Baldessar: responsável pelo trânsito fala sobre situação da via