Os três pilares para uma boa saúde física, mental e emocional envolvem uma boa alimentação, prática de exercícios físicos e sono regular. Na parte emocional, existem inúmeras técnicas que ajudam as pessoas a controlarem seus sentimentos e impulsos, principalmente o estresse. De acordo com a neuropsicóloga Nathalie Gudayol, o simples fato de parar, respirar e contar até 10 já é uma ação eficiente. “Quando você faz isso você torna consciente aquela situação que está vivendo e ao invés de só reagir, você passa a agir, ou seja, você pensa sobre, dá tempo dessa informação subir para o córtex pré-frontal e pensar, você não sai só reagindo”, explica a especialista.

Nathalie reforça que é importante as pessoas se conhecerem, ou seja, praticar o auto conhecimento. Isso ajuda a entender porque determinadas situações a incomodam. “Se tem algo que te incomoda, tem algo a ver com você, e não com o outro”, ressalta. “Se alguém diz algo para mim, aquilo só tem efeito se eu aceitar aquela agressão. Se eu não deixar aquela agressão fazer parte, entrar em contato comigo, o fato da pessoa ter me agredido não muda muita coisa. É esse tipo de raciocínio que a gente tem que ter”, comenta.

Sobre a prática de atividade física, a especialista frisa que há diversos estudos que mostram que se exercitar melhora o funcionamento cerebral. “Dentro das nossas capacidades cerebrais, a gente tem um conjunto de habilidades, que são chamadas de funções executivas. As funções executivas, que fazem parte do nosso córtex pré-frontal, são responsáveis por fazer tudo aquilo que é difícil. Então, o planejamento, a execução, a mudança de estratégias, tudo isso é feito por essas funções executivas”, esclarece Nathalie.

A partir do momento que a pessoa faz atividades físicas, o funcionamento da neuroplasticidade melhora, assim como a neurogênese, que é a criação de novos neurônios. “Meu cérebro passa a funcionar de uma forma melhor, eu consigo melhorar as minhas habilidades cognitivas e, com isso, eu melhoro esse controle inibitório, essa área específica do meu cérebro que vai me ajudar a ter um controle emocional”, destaca.

O programa Ponto de Encontro abordou o assunto com a especialista Nathalie. Ouça na íntegra:

 

A neuropsicóloga ainda ressalta que uma boa noite de sono é fundamental para o controle emocional. “O sono é fundamental e inegociável”, frisa. Isso porque quando se dorme bem, é possível sentir uma capacidade de clareza mental muito superior. “Essa clareza mental vai ajudar a gente a performar melhor, seja qual for a atividade, uma simples conversa com alguém, na hora de argumentar alguma coisa, ou até mesmo em atividades que exijam muito do nosso intelecto”, afirma a especialista.

A doutora Nathalie ainda frisa que é comum ter diversos sentimentos e emoções ao longo do dia. Ansiedade, medo, raiva, tristeza: todos sentem isso e está tudo bem. “A gente tem que estar de olho e atento aos momentos em que esse tipo de emoção e sentimento começa a atrapalhar e interferir na minha qualidade de vida”, fala. “O momento exato para procurar ajuda profissional é sempre que você percebe que determinadas emoções estão interferindo na sua vida, te impedindo de fazer alguma coisa, interferindo na qualidade dos seus relacionamentos interpessoais, esse é o momento exato para se buscar ajuda”, reforça.