Ainda restam pouco menos de dois meses para acabar o prazo da entrega da declaração do imposto de renda. O prazo iniciou no último dia 15 de março e segue até o dia 31 de maio. Os contribuintes devem ficar atentos e entregar corretamente todos os documentos solicitados. Todas as pessoas que tiveram rendimento superior a R$ 28.559,70 durante o ano de 2022 devem prestar contas ao Fisco. Além disso, as pessoas devem ficar atentas a questões como rendimentos isentos, receita bruta da atividade rural, bens e direito, e operações em bolsa. O programa Comando Marconi abordou mais sobre o assunto com a especialista Marines Dagostin De Noni. Ouça na íntegra:

Parte 01

 

 

Parte 02

 

Conforme Marines, o imposto de renda nada mais é do que uma prestação de contas que o contribuinte faz com a Receita Federal. A pessoa mostra os seus rendimentos e gastos do ano, enquanto a receita realiza o batimento das informações, já que ela também possui esses dados. Quem não declara o imposto de renda tem uma multa mínima de R$ 165,74. “Ela pode chegar a 20% do imposto devido. E isso a receita federal pode bloquear o CPF do contribuinte”, ressalta a especialista.

Confira quem deve declarar o imposto de renda

Tabela: Receita Federal

A restituição do imposto de renda significa a devolução do valor pago a mais para Receita Federal. Neste ano, o primeiro lote de restituição será pago em 31 de maio. Os outros serão depositados em 30 de junho, 31 de julho, 31 de agosto e o último em 29 de setembro. Marines ressalta que há uma preferência dos contribuintes que receberão primeiro a restituição. “Primeiro são as pessoas idosas até 80 anos; depois vem os idosos entre 60 e 79 anos; depois contribuintes com alguma doença física, mental ou moléstia grave; e também tem quem apresentou a declaração pré-preenchida ou optou pela restituição via Pix também tem a restituição antecipada”, explicou.

Mais detalhes sobre a declaração do imposto de renda podem ser conferidos clicando aqui.