A obesidade infantil já é considerada uma epidemia mundial e as perspectivas não são positivas. A adoção de mudanças importantes para contribuir na reversão das estatísticas negativas precisam ser colocadas em prática.

Em outubro de 2019 a Organização Internacional World Obesity publicou o Atlas da Obesidade Infantil. O documento mostrou que hoje cerca de 158 milhões de crianças de 5 a 19 anos convivem com o excesso de peso e que esse número deve aumentar para 254 milhões em 2030 em todos o mundo.

Segundo a Dra. Denise Lellis, pediatra da Liga de Obesidade Infantil da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), no Brasil a tendência não é diferente. A especialista aponta o que é preciso mudar para reverter o cenário atual.

Ouça a entrevista que foi ao ar nesta quinta-feira (30):

 

Sobre Dra. Denise Lellis

Doutora em Pediatria pela USP, é membro do departamento de Obesidade Infantil da ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), pediatra da Liga de Obesidade Infantil da FMUSP e Coordenadora do curso de Nutrologia Pediátrica para consultório do CAEPP (Centro de Apoio ao Ensino e Pesquisa em Pediatria).

Colaboração: Débora Torrente / Assessoria de Comunicação