A Polícia Civil concluiu a investigação do primeiro crime de latrocínio, que ocorreu em Criciúma, no dia 3 de janeiro deste ano. Ademir Conti, de 64 anos, foi encontrado morto, com os braços amarrados, no interior de sua casa no bairro Operária Nova. Através da investigação os policiais identificaram o autor e constataram que a causa da morte foi asfixia, praticada com um fio elétrico ao redor do pescoço.

Conforme a Polícia Civil, do interior da residência foram levadas a carteira, um relógio, o celular e as chaves da vítima. A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa da DIC descobriu através de diligencias que na data do crime o celular roubado esteve com um presidiário, de 44 anos, que estava usufruindo uma saída temporária de 7 dias. A carteira e chaves da vítima foram encontradas dias depois em uma lixeira, próxima de uma pensão onde o suspeito estava hospedado.

O suspeito não retornou ao presídio ao final da saída temporária, passando ser considerado foragido.  Em 4 de fevereiro deste ano, foi expedido um manado de prisão preventiva pela 1ª Vara Criminal de Criciúma, em razão do latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Qual quer informação sobre o paradeiro do suspeito pode ser enviada a Polícia Civil através do número 181.