Preso no Paraguai procurado por homicídio e tentativa de homicídio em Imaruí

Após cometer os crimes em Imaruí, o homem ficou escondido por 9 meses no Paraguai

Foto: Polícia Civil

Uma ação conjunta das forças de segurança do Brasil, incluindo a Polícia Civil de Santa Catarina, e a Polícia Nacional do Paraguai, resultou na prisão de um foragido da Justiça catarinense no Paraguai. O homem capturado é apontado como autor de um homicídio e uma tentativa de homicídio em Imaruí, no Sul do Estado, em março de 2019.

A prisão envolveu o Centro Integrado de Operações de Fronteira da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (CIOF/SEOPI/MJSP), além da Polícia Civil de Santa Catarina, da Polícia Civil do Paraná, do GAECO/MPSC e da Polícia Nacional do Paraguai. Conforme a investigação, o homem estava escondido no Paraguai havia nove meses.

O CIOF/SEOPI/MJSP com sede em Foz do Iguaçu (PR) recebeu informações da Polícia Civil de Santa Catarina por meio da Delegacia de Imaruí e do GAECO de São Miguel do Oeste (SC), de que o autor de homicídio e homicídio tentado estava em  Ciudad del Este, no Paraguai – os policiais catarinenses passaram a localização exata da casa em que ele estava.  Logo após, o CIOF/SEOPI/MJSP passou a tratar as informações, sendo acionada a Polícia Nacional do Paraguai, através do Departamento de Investigação de Alto Paraná.

Durante dez dias houve intensa troca de informações entre as polícias visando a localizado do foragido. Em razão da integração, no final da tarde de quarta-feira (15), o homem foi localizado e preso em uma casa em Ciudad del Este por equipes do Departamento de Investigação de Alto Paraná da Polícia Nacional.

Depois do procedimento de expulsão realizada pelo Paraguai, o homem foi entregue na Ponte Internacional da Amizade às equipes do CIOF, Força Nacional e Polícia Civil do Paraná. Na ocasião foi formalizado o ingresso do brasileiro foragido junto ao setor de migração da Polícia Federal na PIA. Em seguida, as equipes do CIOF, FN e PCPR, formalizaram a entrega do preso na 6ª SDP para procedimentos legais.

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Imaruí, deu início às tratativas para transferência do preso para o território catarinense. De acordo com as apurações, poucos dias após os crimes praticados em Imaruí, o autor dos disparos deslocou-se para o Paraguai, tendo alugado uma casa de dois pisos no Km 4. Desde então (aproximadamente 9 meses), o investigado locava quartos para dezenas de brasileiros oriundos de diferentes Estados e que cursam a faculdade de medicina no país vizinho.

O crime em Imaruí

No dia 20 de março do ano de 2019 ocorreram os crimes de homicídio consumado e tentativa de homicídio duplamente qualificados (motivo torpe e recurso que dificultou a defesa das vítimas) em Imaruí, motivados por um desacordo numa negociata de compra e venda de um terreno.

Logo após a realização de diligências, descobriu-se que dois homens praticaram os crimes, os quais tiveram as prisões preventivas decretadas pelo Judiciário após representação da Polícia Civil de Imaruí.

Integração

Segundo o delegado regional de Laguna, Raphael Giordani, a integração entre as diversas instituições de segurança foi fundamental para a prisão do foragido. Giordani destaca também a atuação do delegado da PC catarinense no caso, Adriano Bini, atualmente integrante do Centro Integrado de Operações de Fronteira, em Foz do Iguaçu.

Colaboração: Polícia Civil