A prefeitura de Criciúma sancionou um Projeto de Lei que permite que a administração pare de pagar os salários de servidores que retirarem licença para exercer mandatos em sindicatos. Em entrevista, a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Criciúma e Região (Siserp), Jucélia Vargas, afirmou que o órgão recebeu a informação com muita indignação. “O que o prefeito Clésio Salvaro fez com essa ação de mudar a liberação dos dirigentes nada mais é do que uma perseguição política, uma perseguição sindical, uma prática anti-sindical que fere o artigo 8º da Constituição”, disse.

Jucélia ainda comentou que ação é um ataque do prefeito contra a atuação legítima do sindicato. “A prefeitura de Criciúma, em 2017, tinha mais de 17 leis de contratações irregulares. Foram as nossas atuações, a nossa denúncia que fez com que o município tivesse que realizar concurso público”, ressaltou. Conforme a presidente, o sindicato irá judicilizar contra a lei sancionada. “Vamos continuar na luta, não vamos abandonar os servidores públicos, esse é só mais um ataque como tantos outros que nós vamos passar”, afirmou. O assunto foi destaque em entrevista no programa Comando Marconi com a presidente Jucélia. Ouça:

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o prefeito Salvaro afirmou que há quatro servidores da prefeitura que estão à disposição do sindicato. “Quanto eles custam para o cidadão contribuinte que paga os impostos? R$ 535 mil. Ora, se eles representam o sindicato, ou os trabalhadores, melhor dizendo, eles deveriam estar trabalhando junto com os trabalhadores, o qual eles representam, mas quem paga isso é o cidadão contribuinte, o pagador de impostos”, afirmou. Confira:

 

Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba as principais notícias que foram destaques na programação da Marconi 99.9 FM