Comidas mais pesadas, álcool em maiores quantidades e também descuidos com a rotina de exercícios e alimentação equilibrada. As festas de fim de ano costumam ser uma preocupação para quem busca um estilo de vida saudável. Porém, é possível comer sem culpa.

Para a nutricionista Daniela Borges, o indivíduo pode aproveitar toda a diversidade de comidas e bebidas que a época oferece sem necessariamente jogar fora todo o trabalho de mudança de estilo de vida. “O problema não é o cardápio e sim a maneira como ele é consumido. Há quem ache que comer pouco durante o dia pode minimizar as grandes quantidades de comida que serão ingeridas à noite, o que é um mito. Essa atitude apenas irá aumentar a sensação de fome, fazendo com que você coma mais do que comeria se tivesse se alimentado de forma correta ao longo do dia”, aponta.

Confira a entrevista realizada no programa Ponto de Encontro na manhã desta segunda-feira (14):

 

A depender da quantidade de cada prato, o indivíduo pode aproveitar a ceia sem restrições e de forma a respeitar o organismo. “Opte pelas carnes magras, sem gordura aparente como peru e chester, de preferência grelhados. Capriche nas saladas e nos legumes e na hora da sobremesa aprecie sem excessos”.

Além de conseguir manter a dieta, a especialista aponta que esses cuidados ajudam a evitar o mal estar posterior à ceia e não sobrecarregar o organismo, em especial se o consumo de bebidas alcoólicas acontecer. “Manter a hidratação com um bom consumo de água e também se atentar a qualidade do sono são boas estratégias. Desta forma, o organismo não irá aumentar a produção de leptina, que envia uma mensagem ao cérebro de que está precisando de mais energia e consequentemente te faz comer mais”, alerta.

Caso você seja a pessoa que irá preparar a ceia, optar por ingredientes e modos de preparo diferentes do convencional podem ajudar no equilíbrio. “É possível trocar o frito pelo assado, os embutidos por carne fresca e os temperos industrializados pelas aromatizações naturais”, alerta a nutricionista.

Colaboração: Jennifer da Silva / Assessoria de Comunicação