A população do mundo todo está ficando cada vez mais idosa. Naturalmente, com o envelhecimento, as pessoas começam a apresentar algumas dificuldades, seja na locomoção, na memória ou na própria visualização. Para o pesquisador Marco Machado, que é professor universitário e profissional de Educação Física, esses problemas podem ser amenizados com uma receita simples: a prática de exercícios físicos frequentes e uma alimentação balanceada. De acordo com Marco,  o consumo da creatina auxilia na produção de energia. “Toda vez que a gente ingere carne, que a gente ingere peixe, que a gente ingere frango, nós estamos ingerindo creatina”, comenta.

Conforme o especialista, as pessoas pensam muito no consumo de carboidratos para aumentar a energia e se esquecem da creatina. “Obviamente que quando a gente pensa muito em energia, a gente pensa no músculo, e a creatina vem sendo muito utilizada em academias ou por atletas como uma forma de aumentar a capacidade desses músculos de produzir energia”, afirma. “Recentemente, a gente começou também a descobrir que a creatina não tem um papel importante só no músculo, mas ela tem um papel também no nosso cérebro”, acrescenta. O assunto foi abordado em entrevista no Ponto de Encontro. Saiba mais:

 

O pesquisador esclarece que o idoso possui redução da quantidade de creatina no cérebro. “Esse é um dos fatores que leva o idoso, por exemplo, a ter dificuldade de memória, ter dificuldade, às vezes, de raciocínio, ter dificuldade de ser uma pessoa mais autônoma, ter uma vida mais autônoma, mais independente”, destaca. Marco ainda ressalta que é possível obter a creatina na alimentação, não precisando necessariamente de suplementação. “O suplemento creatina precisa ser recomendado por um profissional habilitado para isso. Algumas pessoas realmente podem precisar”, comenta. “Nós temos no Brasil um índice muito alto de idosos com dificuldade de mastigação, seja porque a dentição não está completa ou pela substituição de dentes originais por próteses. E o que acontece com esses idosos? Eles têm uma dificuldade em ingerir as carnes, porque as carnes precisam de uma mastigação maior. E aí quando você ingere menos carnes na sua alimentação, você estará ingerindo menos creatina. E aí você vai começar a ter alguns problemas relacionados a essa diminuição da ingestão”, acrescenta.