Desde a semana passada, a Secretaria de Assistência Social de Urussanga tem um novo gestor. Braz Cizeski foi nomeado pelo prefeito interino, Jair Nandi, para ser o novo secretário da pasta. Em entrevista, Braz afirmou que gerir a área não é novidade, já que esteve na função anos atrás. O novo secretário relembrou que, em 2003, quando era vereador, indicou ao Poder Executivo a criação da secretaria, já que na época a área Social era veiculada à Saúde. Com a criação da nova pasta, Braz se tornou o secretário na época. “O olhar social precisa estar em constante mudança, em ajustes, tanto em políticas quanto nas próprias ações da secretaria”, destacou.

O novo secretário comentou que, em Urussanga, existem aproximadamente 800 pessoas cadastradas no CadÚnico. Além disso, há em torno de 478 famílias no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e, em média, 40 pessoas por mês sendo atendidas no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). “Hoje nós temos uma realidade social que precisa ser olhada com carinho, é preciso, até porque existe uma política de vigilância, que tem uma ferramenta chamada diagnóstico socioterritorial, que é preciso, historicamente, se fazer em função de toda essa mudança social. Muitas pessoas estão vindo de fora, então, eu digo que, com uma certa urgência, é preciso fazer, aplicar essa ferramenta no município para verificar certinho como está essa realidade social do nosso município”, comentou.

O programa Comando Marconi abordou mais sobre o assunto em entrevista com o novo secretário. Ouça:

 

Conforme Braz, a Secretaria de Assistência Social possui diversas demandas, entre elas a questão do grupo de idosos. “Estava parado, então nós estamos reativando. A equipe está em formação. Acredito que, nos próximos dias, em função dessa questão do Ministério Público, dos concursados também, nós devemos receber para montar a equipe mínima”, afirmou. “Nós estamos entrando com a ideia de fazer aquilo que a gente sempre falou, criar um modelo de gestão na secretaria, onde a gente possa, assim, ter mais eficiência e eficácia em ofertar os programas, serviços e benefícios para a nossa sociedade. Esse é o nosso desafio”, salientou.

Um dos destaques pontuado por Braz envolve o orçamento da secretaria. O novo secretário comentou sobre a aprovação de um projeto que garante R$ 347 mil a pasta. “Quando nós assumimos, nós nos deparamos com o risco do cofinanciamento não vir, e aí se trata de necessidade, porque desse dinheiro vem parte dos benefícios que as pessoas em situação de vulnerabilidade necessitam, precisam. Então, um agradecimento especial para toda a Câmara, todo o empenho das pessoas que entenderam a necessidade de aprovar o projeto porque tinha sido reprovado anteriormente”, frisou.