Aneurisma cerebral é uma dilatação que se forma na parede enfraquecida de uma artéria do cérebro. De acordo com o neurocirurgião e presidente da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN), doutor Wuilker Knoner, alguns fatores podem causar essa fragilidade, como os riscos cardiovasculares e o tabagismo. O neurocirurgião Bruno Parente, representante da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), explica que a pessoa começa a ter as dilatações na parede da artéria, como se fossem bolhas. “Na maioria das vezes, elas surgem pequenininhas e vão crescendo sem causar sintoma algum ao paciente, e ficam assim por anos, às vezes por toda a vida. Os sintomas surgem, na maioria das vezes, quando essa bolha, que é a área mais frágil, se rompe”, esclarece.

Conforme o doutor Bruno, o paciente que tem o aneurisma apresenta hemorragia cerebral, dores de cabeça muitos fortes, rigidez na nuca, náuseas e vômitos. “Qualquer sangramento razoável ali, mesmo pequeno, vai causar grandes estragos e, às vezes, 50%, quando estoura o aneurisma cerebral, ele é fatal na hora”, ressalta o doutor Wuilker. De acordo com Bruno, o problema acomete pessoas de 45 a 70 anos, em média. Além dos fatores de risco, a idade e a genética familiar também podem contribuir para o desenvolvimento de um aneurisma cerebral.

O programa Ponto de Encontro abordou o assunto em entrevista com o doutor Bruno. Ouça na íntegra:

 

O doutor Wuilker ainda destaca que fatores emocionais também podem ocasionar o problema. Isso ocorre porque o estresse e a preocupação geram um nível de adrenalina muito alto, fazendo com que a pressão aumente. “Isso faz com que esses pontos de fragilidade na artéria acabem causando uma ruptura”, comenta. O especialista também falou do assunto em entrevista, confira:

 

O diagnóstico é realizado através de exames, como os de imagem, ressonância e tomografia. O presidente da SBN ressalta que dores de cabeça de forma súbita podem servir de alerta. O paciente deve procurar atendimento especializado, onde serão feitos exames para diagnosticar o problema. O doutor Bruno também esclarece que existem dois tipos de tratamento: na técnica mais antiga, o crânio é aberto para se colocar um clipe de metal para fechar o aneurisma. Nos últimos 15 anos, outra técnica menos invasiva foi desenvolvida, na qual não é necessário abrir o crânio.

Sociedade Brasileira de Neurocirurgia

A Sociedade Brasileira de Neurocirurgia – SBN é uma associação de médicos que exercem a especialidade de Neurocirurgia. Foi fundada há 60 anos, em 1957, tem aproximadamente 2400 sócios, sendo uma das maiores do mundo na especialidade.​

A SBN tem como seus principais valores o respeito ao Código de Ética Médica e ao Código de Ética Profissional, o compromisso com as necessidades dos neurocirurgiões e a atitude pró-ativa.

A visão da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia é ser uma entidade de referência na defesa dos interesses do neurocirurgião brasileiro e promoção de conhecimento no campo da Neurocirurgia.

A missão da SBN é garantir o progresso da Neurocirurgia por meio do incentivo ao aprimoramento da formação do neurocirurgião brasileiro, do monitoramento da prática profissional e da representação dos interesses dos neurocirurgiões.

Academia Brasileira de Neurologia

A Academia Brasileira de Neurologia (ABN) é a maior e mais importante associação dos neurologistas do Brasil. É uma sociedade civil, sem fins lucrativos, de duração indeterminada, congregadora dos que exercem e/ou cultivam a Neurologia e ciências afins no Brasil. Foi fundada na cidade do Rio de Janeiro em 5 de maio de 1962 e registrada no Primeiro Oficio de Registro de Títulos e Documentos da cidade de São Paulo. Representa a Neurologia Brasileira na “World Fereration of Neurology” e dirige a sessão de Neurologia da Associação Médica Brasileira, no Conselho das Especialidades. Tem como fundamento a promoção do desenvolvimento cientifico da Neurologia Brasileira.

Através de suas comissões, discute assuntos amplos, como a Residência Médica em Neurologia e Programas de Ensino da Neurologia a nível de Graduação e Pós-graduação, além de ser um foro de discussão científica e de assuntos relacionados às atividades profissionais do Neurologista.

Promove o Congresso Brasileiro de Neurologia e apoia diversos outros de subespecialidades neurológicas organizados pelos respectivos Grupos de Trabalho.