Os últimos dias foram de intenso movimento de caminhões na rodovia dos Mineiros, em Urussanga. Os moradores das comunidades da região estão reclamando sobre o fluxo de veículos, que prejudica o trânsito. Isso porque há situações em que os caminhões trancam a rodovia. Nesta semana, inclusive, uma carreta chegou a tombar em um trecho da rodovia dos Mineiros. De acordo com a segunda-secretária da Associação Comunitária do Rio Carvão (Acrima), Eduarda Casagrande, o problema acontece principalmente no Morro do Areião.

Em entrevista, Eduarda comentou que passou por duas situações em dias diferentes. Na segunda-feira, a secretária precisou buscar sua filha na creche por conta de problemas de saúde. Ao passar pela rodovia, havia uma carreta na sua frente que, segundo ela, estava com muito peso. O veículo não conseguiu subir o morro e teve que dar ré para fazer o retorno. “Veio na minha direção, veio de ré, foi vindo, foi vindo, e, para me defender, quase que eu tive que me jogar no rio com a minha menina. Então, isso é inadmissível, eu acho uma falta de respeito da empresa e até mesmo de quem cuida das vias, as autoridades do município”, afirmou Eduarda. Na terça, uma outra carreta ficou atravessada no trecho, impossibilitando de outros veículos passarem.

Conforme Eduarda, os moradores não têm segurança para ter um direito básico: o de ir e vir. Segundo ela, há situações em que os moradores precisam fazer um caminho alternativo, muitas vezes mais longo, para poder desviar dos caminhões trancados na rodovia. De acordo com o presidente da Acrima, Luiz Henrique Martins, o Cuíca, os moradores irão se reunir com a Polícia Militar para resolver os problemas sobre o trânsito. “Ninguém está impedindo que a empresa trabalhe, nós queremos que a empresa continue trabalhando, gerando emprego. Eu sei que gera bastante imposto para a cidade também, nada contra isso, só que tem que ser dentro das regras”, destaca.

O programa Comando Marconi tratou sobre o assunto em entrevista com Eduarda e Cuíca, representando os moradores do bairro Rio Carvão. Ouça:

 

Sérgio Luiz Maccari, representante da empresa Urussanga Minérios, explicou que o aumento no tráfego de caminhões é esporádico, ocorrendo uma ou duas vezes ao ano. O diretor da empresa, Gabriel Zanette, explicou que é importado dois navios por ano, encostando no Rio Grande do Sul. Neste ano, por conta da situação das chuvas no estado, a Marinha do Brasil precisou usar o espaço para fazer o baldeamento de recursos. Isso gerou um atraso, fazendo com que a emrpesa tivesse três dias para tirar todo o carvão. “Pegamos três dias de chuva, muita chuva, com uma estrada que tá muito ruim”, disse. “O pessoal reclama, tem razão, dá para melhorar, a gente entende isso, inclusive já questionamos isso também, só que é a situação: é uma rodovia pública que está deteriorada, que não tem condições, está cada vez pior e eu tenho que tomar uma atitude, ou eu saio de Urussanga ou a gente resolve essa rodovia de uma vez”, acrescentou.

Gabriel pediu a compreensão dos moradores que usam a rodovia dos Mineiros. “A gente molha a estrada, a gente mantém a estrada molhada para abater o pó, isso nos custa todo mês, né? A gente coloca pó de brita, várias vezes eu boto as nossas máquinas a rebocar até transporte público, até caminhão de lixo quando dá problema lá, a gente puxa, a gente dá manutenção”, salientou. “A gente pede desculpa aí pelo transtorno, mas é a operação da empresa, a empresa tem o direito, a legalidade de estar ali, eu não quero tirar a empresa de Urussanga, a gente quer manter ali, só que a gente precisa…. Cara, que o governo nos apoie um pouquinho, né? É complicado. No ano passado, a empresa gerou R$ 38 milhões de impostos, cara, e não volta mais, né? É revoltante também”, disse Gabriel.

Ouça na íntegra a entrevista realizada com Gabriel e Sérgio:

 

O prefeito interino de Urussanga, Jair Nandi (PSD), afirmou que os argumentos dos moradores e da empresa são legítimos. Para o Poder Público, o problema envolve a pavimentação da rodovia dos Mineiros. “Assumimos em 2021, pegamos um projeto que praticamente não existia, porque ele era de 2008, 2010, em torno por aí. Nós contratamos uma empresa e passamos a trabalhar no projeto da rodovia, que é 10,5km. Naquela oportunidade, nós fizemos todo o projeto, cadastramos esse projeto na Secretaria de Infraestrutura do Estado de Santa Catarina, ou seja, existe um protocolo lá. Nesse caminhar, ao longo de um ano nós conseguimos aprovar o projeto de rodovia, ou seja, nós temos um ofício lá na Prefeitura Municipal, onde consta que a malha viária, ou seja, todo o caminhar da rodovia está aprovado nos padrões estaduais. Muito embora a rodovia seja municipal, mas planejada com interesse futuro podendo ser estadualizada”, explicou.

Para Nandi, é necessário ter um consenso para apresentar a importância da rodovia dos Mineiros para o Governo do Estado, que poderá viabilizar a pavimentação. “Então o projeto está aprovado. Basta poder de decisão que já não está mais na nossa esfera. E caso isso venha a acontecer e nós vamos lutar diariamente para que isso aconteça, parte desses problemas ou quase todos esses problemas estariam resolvidos”. Nandi também falou sobre o assunto em entrevista. Na oportunidade, o prefeito ainda destacou outros temas sobre Urussanga. Ouça mais:

 

Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba as principais notícias que foram destaques na programação da Marconi 99.9 FM