Pessoas que moram em apartamentos devem ficar atentas às medidas de segurança contra incêndio do próprio prédio. Isso porque todos os moradores de uma edificação devem saber como agir diante de um incêndio. De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros de Urussanga, primeiro-sargento Dione Elisandro Gonçalves de Matos, infelizmente, muitas pessoas desconhecem e têm dificuldade em acessar os sistemas de segurança. “A gente tem ficado muito assustado com a falta de conhecimento dos usuários das edificações”, salienta Dione.

Conforme o soldado Alessandro Oliveira, existem muitos dispositivos presentes nas edificações, porém, é necessário entender mais sobre a sua maneira de funcionamento. É o caso da iluminação de emergência e o uso do extintor de incêndio. O comandante Dione explica que há o sistema ativo e passivo. “O primeiro ato que o Corpo de Bombeiros faz ao chegar no local da ocorrência é desligar a energia daquele pavimento ou, se necessário for, de toda edificação. É o primeiro ato. Até por isso a gente já traz uma dica: não corram para o elevador, é por isso que a gente tem a escada de emergência, que é um sistema passivo. Só que tem gente que tá morando em edificação verticalizada, que não sabe nem aonde é a porta da escada. E isso vai comprometer a vida das pessoas”, exemplifica o comandante.

Outro exemplo de sistema passivo é manter a manutenção da iluminação de emergência. Caso ocorra um incêndio e o sistema não esteja funcionando, a energia de todo o prédio será cortada, dificultando o trabalho dos bombeiros e a saída dos moradores. Segundo o comandante Matos, outro quesito é a porta da escada de emergência. “A porta da escada, as portas dos apartamentos têm a função de evitar o quê? A propagação da fumaça, assim como do incêndio. Então, olha o dano que a gente pode ter pelo descuido desse sistema preventivo passivo que é tão simples. Se eu não fechar as portas da escada e eu tiver um incêndio em um pavimento inferior ou intermediário, quem está no último pavimento é o mais prejudicado porque ele não consegue descer de lá”, acrescenta o responsável pelo quartel de Urussanga.

O assunto foi abordado em entrevista no programa Ponto de Encontro com o comandante Matos e com o soldado Oliveira. Ouça mais na íntegra:

 

Conforme Oliveira, os moradores precisam conhecer, pelo menos, as áreas comuns do prédio: as escadas e o hall de entrada. “Onde estão os sistemas preventivos, por exemplo, extintores, onde está o extintor no meu pavimento, por exemplo, o sistema hidráulico preventivo, que é aquela caixa de hidrante que tem na parede. É interessante que você abra, você conheça as peças, você saiba usar, porque aquilo é extremamente fundamental para um princípio de incêndio”, reforça. “Partindo do momento que eu conheço a edificação, eu já sei que em algum momento de sinistro, quando tocar o alarme de incêndio, existe sistema de detecção e alarme, quando ele for acionado, eu sei que eu devo fechar o meu apartamento, desligo tudo que tiver no apartamento, se for possível. A parte de que eu estou usando uma fritadeira elétrica, por exemplo, desligo ela, fecho o apartamento e desço pelas escadas e fecho as portas. Não uso elevador. Fique bem claro essa orientação”, acrescenta.