Em uma experiência totalmente diferente do cotidiano, o médico criciumense Luiz Carlos Custódio Fontana esteve no Oriente Médio prestando ajuda humanitária aos refugiados da Síria durante dez dias. Luiz estava em um grupo com dez pessoas, no qual ficaram na cidade Al Mafraq, onde existe um centro que atende refugiados há mais de 12 anos. O grupo presta atendimento nas mais variadas áreas, sejam médicas, odontológicas, na parte de esportes, na barbearia e outros. “Não precisa de uma qualificação específica, todo mundo que estiver lá vai conseguir contribuir de alguma maneira, já que eles necessitam das necessidades mínimas para sobreviver”, comentou Fontana.

Todo o trabalho faz parte do projeto “Brasil pela Síria”, que foi fundado em 2016 em Criciúma. “É a quarta vez que ocorre esse projeto na Jordânia, mas é a primeira vez que vai uma equipe tão grande, porque ficou aquele tempo da pandemia sem poder ir porque não dava para viajar, era mais complicado. Então uns três anos sem ter o projeto, e aí agora voltou com tudo. Tivemos uma experiência bem interessante e já estamos planejando as próximas”, ressaltou o criciumense. O assunto foi destaque em entrevista no programa Ponto de Encontro com o doutor Luiz Carlos. Ouça na íntegra:

 

Este foi o segundo projeto em que Luiz participou, sendo que na primeira vez esteve no Quênia, na África. “Vão ter mais três projetos para este ano ainda, então cada experiência é importante, cada lugar é uma situação diferente”, falou Luiz. “É um choque cultural muito, muito intenso, realmente cada um desses projetos a gente aprende um pouco”, completou. O médico contou também que existem tradutores ao lado de cada voluntário informando o que está sendo dito para os refugiados. Cada participante do projeto arca com suas próprias despesas para poder ajudar no país.

Para este ano, Fontana já planeja poder ajudar em outros países. Em abril, o doutor irá viajar para o Líbano, também para auxiliar refugiados da Síria; em julho segue para o Quênia; e neste ano também irá em um projeto especial que presta apoio a mulheres vítimas de estupro em Kibera, em Nairóbi, na África.

Médico Luiz Carlos Custódio Fontana colabora em projeto humanitário para ajudar refugiados da Síria