A menopausa não é só a data da última menstruação da mulher. Essa fase representa uma série de mudanças e alterações no corpo feminino, afetando a qualidade de vida. De acordo com a ginecologista Bianca Bez Batti De Pellegrin, o normal é que a mulher pare de menstruar entre 40 e 55 anos de idade. “É mais frequente ali entre os 49 e 51, mas toda essa janela de tempo pode ser que aconteça”, explica.

Segundo a especialista, a parte genética também influencia na menopausa da mulher. Porém, os hábitos de vida tendem a impactar bastante. “Se eu pratico atividade física, se eu me alimento direito, o que eu estou comendo, tudo isso vai interferir também na idade que eu vou parar de menstruar”, destaca. “Os sintomas mais frequentes, as queixas mais comuns, são bagunças de menstruação. Então algumas mulheres percebem que de repente começou a sangrar demais, então, tô sagrando duas, três vezes por mês e de repente eu fico um mês, dois, três sem menstruar, aí quando vem, vem um monte e depois para de vim, então essa bagunça. E também muito frequente os calorões, que são um dos sintomas que mais prejudicam, que mais atrapalham essas mulheres. Aquele calor súbito, que do nada vem, tórax, pescoço, rosto”, comenta.

Mais detalhes do assunto foram abordados em entrevista com a doutora Bianca no programa Ponto de Encontro. Ouça:

 

Conforme a doutora, a menopausa gera um aumento no risco de outras doenças, como as cardiovasculares, pressão alta, diabetes, alterações de colesterol e outros. “Também osteoporose, porque o estrogênio, que é o hormônio da mulher, que é o hormônio que acaba cessando a produção pelos ovários nesse período, ele também faz com que eu tenha uma massa óssea adequada. Então, a partir do momento que eu tenho uma queda nessa produção de estrogênio, eu também começo a ter queda de massa óssea. Então, osteopenia, osteoporose e futuramente fraturas. Então, são consequências que não são muito comentadas, mas que são muito importantes na menopausa”, esclarece.

Veja também: