O último dia 8 de abril foi lembrado por ser o Dia Mundial de Combate ao Câncer. Um dos pontos primordiais ao falar do assunto é o diagnóstico precoce. O câncer infanto-juvenil deve ser debatido na sociedade, e é esse trabalho e apoio que a Casa Guido realiza. Localizada em Criciúma, a instituição atende famílias de todo o Sul catarinense. De acordo com a captadora de recursos da Casa Guido, Viviane Hoffmann Garcia, é preciso furar bolhas e alertar que o câncer infantil existe, e que ele tem cura.

Para Viviane, todas as pessoas podem ajudar nos cuidados com o câncer infanto-juvenil e nos trabalhos da Casa Guido. “Não é só ajudar financeiramente, só doar para a Casa Guido, também é entender tudo o que se faz lá, e entender o seu papel dentro da sociedade. O pai, a mãe, o professor, o profissional da saúde, todo mundo que tem um contato com a criança e com o adolescente”, ressalta. “Se eles tiverem a informação de como podem fazer para participar ativamente dessa possibilidade de ter um diagnóstico precoce, falar sobre o câncer, entender sobre o câncer, com certeza a gente vai mudar um cenário bastante assustador que a gente vive hoje em relação aos números”, acrescenta.

O programa Ponto de Encontro abordou mais sobre os sinais que indicam um câncer em crianças e adolescentes e sobre o trabalho que a Casa Guido desenvolve em entrevista. O assunto foi tratado com Viviane e com o coordenador do programa de diagnóstico precoce do câncer infanto-juvenil, Schneider Neves. Ouça na íntegra:

Parte 01

 

Parte 02

 

Sintomas

Conforme Schneider, alguns sinais podem indicar o desenvolvimento de um câncer em uma criança ou adolescente. A febre, quando não é seguida de outro sintoma, pode ser um fator de alerta. “A febre apareceu, apenas veio e sumiu, e tu não teve um inchaço na garganta, uma infecção, uma dor de ouvido, ela simplesmente apareceu”, exemplifica. O posto de saúde deve ser procurado quando casos como esse forem percebidos.

Outro sinal que merece atenção é o comportamento da criança ou do adolescente. A irritabilidade, agressividade ou o desânimo sem motivos são uns dos sintomas. “Mudança de comportamento na escola, é uma criança super ativa e de repente ela se isola, fica lá no cantinho dela. Então a professora, tendo esse conhecimento de que pode ser um câncer, ela vai investigar, vai alertar os pais, vai orientar”, comenta Schneider.

Alguns sinais podem envolver também:

  • Palidez inexplicada, fraqueza ou perda de apetite;
  • Manchas roxas ou pontos vermelhos espalhados pelo corpo com sangramento, sem cortes ou batidas;
  • Aumento progressivo de barriga;
  • Inchaço nas pernas ou braços, acompanhados de dor;
  • Dor de cabeça com vômito pela manhã;
  • Febre prolongada sem causa definida;
  • Reflexo branco no centro do olho, especialmente em fotos com flash;
  • Anemia com dor nas pernas;
  • Aumento significativo de um dos olhos com ou sem estrabismo;
  • Emagrecimento involuntário.

Casa Guido

A Casa Guido completará 13 anos de existência em novembro deste ano. Atualmente, a instituição tem 78 famílias cadastradas. A Casa Guido oferece atendimento social, jurídico, nutricional, psicólogo, além de apoio, para as crianças e adolescentes que têm câncer e suas famílias.

Somente em 2022, a Casa Guido teve o investimento de R$ 274.433,00 em exames e medicamentos. Foram investidos mais de R$ 21 mil em próteses e equipamentos hospitalares; R$ 164.440,00 em projetos sociais com recursos do Fundo da Infância e Adolescência (FIA); e mais de R$ 14 mil em suplemento, auxílio funeral e viagem.  A Casa Guido também investiu mais de R$ 67.500,00 em cirurgias e consultas; e quase R$ 114 mil em projeto de melhorias e aquisições.

Além dos investimentos, a Casa Guido destinou mais de 450 cestas básicas para as famílias, 5.600 litros de leite, 380 kits de higiene pessoal, 7.800 unidades de fraldas descartáveis e 86 listas completas de material escolar para as crianças e adolescentes.

Clique aqui e conheça mais os trabalhos da Casa Guido.