Uma campanha nas redes sociais busca arrecadar recursos para Angelina Aparecida De Melo Manarin, de 50 anos de idade. Ela é moradora de Cocal do Sul e trabalha como professora temporária na Escola Estadual Padre Schuller. No início do ano, após notar falta de memória, realizou exames de rotina. Foi quando descobriu um aneurisma que, segundo os médicos, pode romper a qualquer momento. Por isso, Angelina, com o apoio de suas colegas da escola onde trabalha, iniciaram a campanha para arrecadação de dinheiro. Isso porque o procedimento que é necessário fazer custa em torno de R$ 68.750,00, além dos exames que também têm um alto valor.

Uma vaquinha on-line está sendo divulgada pela internet (CLIQUE AQUI). Além disso, outras ações estão sendo desenvolvidas. É o caso da venda de sonhos, com o apoio das Padeiras de Cocal do Sul. A venda acontece neste sábado, dia 4, no qual cada pacote tem quatro sonhos pelo valor de R$ 10,00. Os sonhos serão entregues das 9h às 16h no Centro de Eventos do Bairro Jardim Itália. Haverá vendas no dia, mas as pessoas podem comprar antecipadamente nos pontos de venda (veja ao final). O assunto foi destaque em entrevista no programa Ponto de Encontro com Angelina e com Letícia Souza da Silva de Faveri, que também está à frente da campanha. Ouça mais:

 

Conforme Letícia, após a identificação do aneurisma, Angelina realizou uma arteriografia, no valor de R$ 6.500,00. Com esse exame, foi identificado que há, na verdade, dois aneurismas. “Antes ele tinha cinco milímetros, ele foi para sete, além de outro aneurisma. E daí, com esse exame, o médico pôde ver que não daria para fazer uma cirurgia fechada, teria que abrir para tirar realmente, e que se ela não fizer a cirurgia, ele pode se romper a qualquer momento. Ela está com uma bomba na cabeça, digamos assim”, explica.

A história de Angelina já é marcada por muitas emoções. O primeiro filho teve uma paralisia cerebral e faleceu aos 12 anos de idade. “Ele foi uma lição na minha vida, ele veio me ensinar muita coisa. Para quem conviveu com ele, ele ensinou muito”, destaca. Há sete anos, Angelina teve outra perda. “Foi o Caio, ele nasceu com síndrome de Edwards, ele tinha uma síndrome gravíssima, gravíssima assim, no ultrassom a gente já soube da síndrome, aí foram sete meses bem turbulentos também, até ele falecer no parto”, conta. “Hoje eu tenho o Otávio, que tem 14 anos, que também é maravilhoso, muito estudioso, dedicado, esforçado para tudo o que faz”, salienta Angelina.

Atualmente, Angelina está afastada há 20 dias dos trabalhos da escola. “Eu não me sinto doente, eu me sinto só que eu não tenho dinheiro para operar, então assim, aí depois de muito, de não querer expor isso, eu vi que só assim que a gente vai conseguir, só assim que eu vou conseguir. Então, dependendo dos meus amigos, das pessoas que gostam de mim e expondo mesmo”, afirma.

Além da vaquinha on-line, é possível contribuir com doações para Angelina através do Pix, com a chave 48 99924-2298. No Instagram, Angelina compartilha informações sobre a campanha. Confira no @angelinamelomanarin