O famoso ditado de que uma mulher grávida deve comer por duas pessoas é mentira. O recomendado é que a mãe siga uma alimentação equilibrada durante a gestação, que será saudável tanto para ela como para a criança. De acordo com a doutora Patrícia Santiago, pós-graduada em Nutrologia, as gestantes precisam reduzir o consumo de alimentos inflamatórios e ingerir mais alimentos com qualidade nutritiva. Conforme a especialista, é fundamental que as grávidas tenham uma alimentação com bastante fibras e com consumo adequado de água, trabalhando na constipação, no qual muitas mulheres sofrem de prisão de ventre durante o período.

Uma outra dica importante é triturar as sementes, que vão facilitar o processo de absorção dos nutrientes. É crucial também que a mulher consuma proteínas bem cozidas e assadas, para que não haja risco de adquirir alguma doença. “Alguns alimentos, como peixe cru, aqueles peixes que a gente não sabe a origem, quando você vai comer fora em um restaurante e não sabe o preparo, tem que ser muito cuidado”, alerta. No caso do sushi, a grávida pode comer desde que ela saiba a procedência do alimento. “Mas aquela pessoa que não tem anticorpos de toxoplasmose, realmente ela precisa evitar”, destaca.

Além disso, carnes e frangos crus ou mal passados também devem ser evitados durante a refeição. “Você deve evitar leite não pasteurizado, que a gente tem ali uma porcentagem elevada na contaminação de bactérias, como a Listeria, que pode causar o aborto ou o parto prematuro”, explica. “Também oriento a paciente a reduzir o consumo daqueles alimentos processados, como salsichas, frios e álcool”, acrescenta.

As gestantes também devem ficar atentas ao consumo de água. A recomendação geral é que ela aumente e tome entre dois e três litros de água por dia. A orientação contribui para evitar infecções urinárias, além de evitar as hipotensões, que são o mal-estar e visão turva causadas pela desidratação. O assunto foi abordado com a doutora Patrícia no programa Ponto de Encontro. Ouça:

 

Atividade física também é recomendada, desde que moderada e acompanhada por um profissional. Pilates e hidroginástica são algumas das atividades que a gestante pode fazer. “Mas a gente tem que sempre lembrar que ele precisa ser feito dentro de um acompanhamento e com pesos leves, por conta do risco que a gente tem com essa gestante”, frisa.