Na partida desta quinta-feira, dia 11, às 20h, contra o Fluminense, o meia Fellipe Mateus vai atingir a marca de 150 jogos com a camisa do Criciúma. Ele estreou pelo Tigre em 2021, na vitória por 1 a 0 contra o Ituano, na primeira rodada da Série C. Três anos depois, está disputando a primeira Série A pela equipe carvoeira. Em 149 jogos, Fellipe marcou 17 gols e deu 20 assistências.

No currículo do meia, dois títulos catarinenses e acessos para a Série B e A do Campeonato Brasileiro, sendo eleito o craque em duas edições do Campeonato Estadual. “Cheguei aqui num momento muito difícil do clube, mas estamos podendo disputar uma Série A, realizando o sonho com essa camisa. Então, pra mim, é motivo de muita alegria e muita comemoração por conta disso. Saber de onde você veio com o clube e estar alcançando uma Série A, aproveitando coisas grandes com essa camisa, buscando a permanência e até mesmo disputar um campeonato internacional”, disse Fellipe. 

Fellipe Mateus recebeu a premiação de craque do Campeonato Catarinense de 2023 das mãos do jornalista Roberto Alves. Foto: Fernando Ribeiro/FCF

Nesta temporada, Fellipe Mateus disputou 29 jogos pelo Criciúma, oito no Brasileirão. Na Série A, o camisa sete tem dois gols marcados, mas recentemente sofreu uma lesão no ligamento do joelho e ficou fora de cinco jogos. “Nenhum jogador quer passar por isso, momentos de lesões. Infelizmente, o meu foi uma pancada, nem foi algo que dá pra controlar. Então, é um momento triste para o jogador. Tem que trabalhar bastante a questão mental, mas estou fazendo o meu melhor no dia a dia, no que está no meu alcance, para que eu possa voltar ao meu 100% e poder voltar a ajudar o Criciúma e estar podendo fazer os jogos e ajudar a equipe”, disse. 

O meio-campista marcou dois, dos quatro gols, do Tigre na vitória sobre o Vasco, em São Januário. Foto: Celso da LUZ/CEC

Desde que se recuperou da lesão, Fellipe ainda não foi titular. O jogador vem entrando gradualmente durante os jogos para recuperar a forma física. No duelo desta quinta-feira, 11, contra o Fluminense, há uma expectativa de que o meia volte ao time titular. “Ainda sinto dores, mas acho normal. Nenhum jogador consegue jogar sem dor nenhuma. Tem que respeitar o processo, respeitar os companheiros e a comissão junto com as suas decisões. Quero estar cada dia melhor, tanto na questão física quanto na técnica e tática, para que eu possa estar 100% em todos os quesitos e poder ajudar”, relatou. 

O jogador entrou no segundo tempo, na partida contra o Vitória, no último domingo (7), pela 15ª rodada.

O Tricolor das Laranjeiras, adversário do Tigre nesta quinta-feira, passa por um momento delicado. O Time Carioca amarga a lanterna do Brasileirão com apenas uma vitória em 15 jogos e sete pontos somados. Apesar do momento de crise da equipe comandada por Mano Menezes, Fellipe Mateus prega respeito ao adversário.

“Nós encaramos sempre com muito respeito, porque sabemos a qualidade dos clubes. Sabemos o que passamos com o Cuiabá, que também vinha em um momento difícil. Ainda mais o Fluminense, um clube campeão da Libertadores recentemente, com a qualidade dos jogadores. Todo clube passa por oscilações, eles estão vivendo esse momento, mas têm excelentes jogadores. Acredito que, se fizermos o nosso melhor, temos tudo para sair de casa com a vitória”, disse. 

Antes do jogo desta quinta-feira, 11, no Estádio Heriberto Hülse, o meia será homenageado com uma placa e receberá a camisa de número 150, que utilizará durante o jogo. Na ocasião em que completou 100 jogos pelo Criciúma, Fellipe Mateus anotou o gol da vitória do Tricolor sobre o ABC, em Natal, pela 16ª rodada da Série B do ano passado.

Foto: Celso da Luz/CEC