O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, participou na manhã desta quinta-feira (14), da reunião virtual organizada pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para discutir a vacinação contra a Covid-19 nos municípios brasileiros. De acordo com o Ministério da Saúde, as cidades devem começar a imunizar a população na próxima quarta-feira (20), de forma simultânea, às 10h.

O início da vacinação contra o novo coronavírus depende do aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que pretende analisar, até domingo (17), os pedidos de uso emergencial das vacinas CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, e da AstraZeneca, desenvolvida pela Universidade de Oxford, da Inglaterra, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“O ministro nos informou que, inicialmente, o Brasil vai adquirir oito milhões de doses, sendo seis milhões da CoronaVac e o restante da AstraZeneca. Se a Anvisa liberar o uso das vacinas, os estados vão receber as doses no início da semana que vem e distribuir aos municípios, que vão começar a primeira etapa de vacinação na quarta-feira. Calculamos que precisamos receber doses para imunizar 14 mil pessoas do primeiro público-alvo em Criciúma”, contou Salvaro.

Conforme Pazuello, o primeiro grupo a ser vacinado é formado pelos profissionais de saúde, idosos que estão em asilos e indígenas. Em seguida, os idosos com mais de 75 anos serão imunizados. Na segunda fase, a imunização será destinada aos idosos com idade entre 60 e 74 anos. A terceira fase engloba as pessoas com comorbidades e a última etapa os professores, profissionais das forças de segurança e o sistema prisional.

Foto: Jhulian Pereira

Criciúma preparada para vacinar os moradores

Desde dezembro de 2020, o Governo de Criciúma prepara os últimos detalhes para imunizar os moradores contra a Covid-19. Segundo o secretário municipal de Saúde, Acélio Casagrande, a prefeitura possui 12 mil seringas, 37 mil agulhas e 40 câmaras frias para armazenar as vacinas. “Já estamos providenciando a compra de mais 250 mil seringas e agulhas”, contou. Os itens serão adquiridos via Consórcio Intermunicipal de Saúde da Amrec (Cisamrec).

Segundo Casagrande, a Secretaria Municipal de Saúde deve definir os locais de vacinação nos próximos dias. “Dependemos da quantidade de vacinas que vão ser entregues ao município para definirmos os locais de vacinação e atender os grupos prioritários. Mas, já estamos elaborando toda a logística necessária e orientando os profissionais para melhor atender os criciumenses. Criciúma está mais que preparada”, afirmou.

Colaboração: Jhulian Pereira / Assessoria de Comunicação