A Polícia Civil de Santa Catarina esclareceu, em menos de 24 horas após o crime, a autoria do crime que resultou em morte do delegado aposentado, José Tadeu Vargas dos Santos, de 65 anos. Quatro homens foram identificados e conduzidos para a delegacia. Dois deles presos em flagrante pela participação direta na execução da ação criminosa. A outra dupla capturada auxiliou na fuga e esconderijo dos executores.

O resultado preliminar da investigação comandada pela Divisão de Investigações Criminais (DIC) de Criciúma foi divulgado em entrevista coletiva no final da manhã deste domingo, dia 8, na sede da 6ª Delegacia Regional. Participaram o delegado regional, Vitor Bianco Júnior, e o delegado Yuri Miqueluzzi, coordenador da Divisão de Repressão a Roubos.

Conforme revelado pelo responsável pela investigação, os dois presos em flagrante foram autuados no crime de latrocínio. Um deles é paranaense e tem 31 anos. As informações indicam que esse foi o autor do disparo que acertou a região abdominal da vítima. O outro, de 25 anos, é natural de Criciúma. Ambos são amigos e trabalham no mesmo segmento profissional. “A intenção dos autores era realizar um roubo no bar. Três pessoas armadas desceram do veículo branco, encapuzados e anunciaram o crime”, revelou o delegado Miqueluzzi.

O coordenador da DRR/DIC Criciúma contou que o delegado Vargas, ao perceber a ação dos bandidos, tentou impedir o crime, sacou de sua arma particular, ocorrendo, então, a troca de tiros com os autores. “O delegado teve uma intervenção heroica. Eram três criminosos atirando contra um e ele não se subjugou. Mesmo aposentado, seguiu cumprindo a sua missão de policial ao tentar impedir um crime”, analisou. Foram vários disparos efetuados contra a vítima, somente um acertou.

A investigação

Policiais civis da Região de Criciúma estão mobilizados desde a ocorrência do crime, por volta das 22h10, da sexta-feira, dia 6, num bar do bairro Capão Bonito, interior de Criciúma. Já ao longo da manhã de sábado, dia 7, a investigação conseguiu informações que levaram à identificação dos autores. Um deles foi visto saindo da mata em um local distante do ponto do fato e, a partir de investigações, ele foi localizado, desencadeando todo o desfecho no meio da tarde, com as demais capturas

O auto de prisão em flagrante dos presos foi lavrado até a madrugada deste domingo, na DIC Criciúma. O carro usado na fuga de dois dos autores foi recuperado e apreendido para perícia. Um dos criminosos fugiu embrenhando-se no matagal ao lado do bar, onde foi feita incursão policial. “A Polícia Civil demonstrou grande união em incansáveis diligências. Tivemos o envolvimento do efetivo de toda a região e ainda de outras cidades do Estado, que vieram para cá voluntariamente”, apontou o delegado Regional.

Amigo e sócio do delegado Vargas, Vitor Bianco Júnior expressou seu sentimento com a perda. “Perdemos um amigo. Amante das abelhas, com quem eu era sócio na apicultura. Meu sentimento é de perda não só de um colega policial, mas de um amigo”. O delegado regional ainda agradeceu enfaticamente a participação ativa de todas as forças de segurança pública. “Apresentamos nossa profunda gratidão a todos os nossos abnegados policiais que trabalharam incansavelmente até esclarecer o crime e prender os autores, além de todas as demais instituições diretamente envolvidas”, indicou Vitor.

A Delegacia Regional de Polícia Civil em Criciúma agradece e reconhece a importante contribuição da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), da Polícia Científica (PCI), do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), do Hospital São José e demais parceiros envolvidos direta ou indiretamente no caso. A Delegacia-Geral ainda demandou delegados e agentes da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), equipes da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais, binômio do Núcleo de Operações com Cães e outras unidades para apoiarem os policiais de Criciúma na elucidação do crime de latrocínio.

Colaboração: Taize Pizoni de Souza / Assessoria de Imprensa