Os registros de afogamento na região no último final de semana reacendem o alerta aos cuidados necessários para evitar outras ocorrências do tipo. Mares, rios, lagoas, açudes e piscinas representam riscos às pessoas quando não se é aproveitado o local com segurança. De acordo com o Capitão Rafael De Fáveri, do 4° Batalhão de Bombeiros Militar, o ideal é ir somente em locais que possuem guarda-vidas. O programa Comando Marconi abordou mais detalhes do assunto em entrevista com o Capitão Rafael. Algumas dicas para evitar afogamentos foram destacadas, confira:

De acordo com De Fáveri, a maioria dos casos de afogamento possuem uma semelhança: o perfil do afogado geralmente é um masculino jovem, de 13 a 35 anos de idade, em média. “É uma idade, principalmente o homem, que se tem um excesso de confiança muito grande. Excesso de confiança em ambiente aquático pode ser muito perigoso”, ressalta. “Não é coincidência, as estatísticas de todo o Brasil mostram que as principais vítimas de óbito por afogamento são masculinos jovens, infelizmente”, completa. Além disso, em alguns casos, há o uso de bebidas alcoólicas, que podem influenciar no afogamento.

Outra observação de destaque é que a maioria dos casos de afogamento acontecem em rios e lagoas. “Tem-se a falsa impressão que a maioria dos óbitos ocorrem no mar, mas não é verdade. A maioria dos óbitos por afogamento ocorrem em água doce”, comenta. Conforme o Capitão, isso se deve a percepção do risco, no qual as pessoas acabam respeitando mais o mar por conta das ondas e o ambiente em geral. “Em um ambiente que a água é um pouco mais parada, acabam se arriscando mais, e aí é que ocorre o afogamento”, frisa. Além disso, do contrário das praias, a maioria dos rios e lagoas não possuem serviço de guarda-vidas.

Confira as principais dicas

  • Sempre ficar em ambientes que possuem serviço de guarda-vidas ou responsáveis pela segurança do local;
  • Evitar de ir em locais fundos ou longe de outras pessoas;
  • Ao cuidar de crianças, deixar elas a um braço de distância de si;
  • Estar atento às bandeiras de sinalização nas praias. No posto do guarda-vidas, bandeira vermelha significa alto risco de afogamento, amarela médio e verde baixo risco. As bandeiras vermelhas na faixa de areia mostram locais de risco e devem ser evitados;
  • Ao perceber que está se afogando, o recomendado é manter a calma, encher os pulmões de ar para flutuar e levantar os braços para chamar os bombeiros.

Leia também:

Mortes por afogamento são registradas na Copa 70, em Jaguaruna, e na Praia da Meta, em Arroio do Silva

Dois jovens estão desaparecidos após novos registros de afogamentos no Rio Braço do Norte

Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba as principais notícias que foram destaques na programação da Marconi FM