A temporada de verão chegou e, com ela, o golpe do “falso aluguel”. Por isso, neste período de alta procura por locação de imóveis, a Polícia Civil de Santa Catarina apresenta dicas para não cair nesse tipo de estelionato.

O golpe do “falso aluguel” acontece quando uma pessoa que não é proprietária do imóvel o aluga para um terceiro de boa fé, que acredita estar realizando a locação com o real proprietário. Esse tipo de golpe acontece principalmente pela internet, por meio de falsos anúncios.

O delegado de polícia Renan Scandolara, titular da Delegacia de Proteção ao Turista da Polícia Civil na Capital, explica que é preciso que o turista tome alguns cuidados antes de efetuar o pagamento do aluguel para ter mais segurança.

Confira algumas dicas

Cuidados necessários antes de viajar 

Se o cidadão quer alugar um local por meio de um anúncio da internet, é preciso se certificar se o site é verdadeiro e se o anúncio realmente foi feito pelo real proprietário do local ou por um representante dele. Uma dica importante é pedir para fazer uma vídeochamada com o anunciante para verificar se ele realmente possui acesso à residência. Também é válido conferir a seção de avaliações em sites de hospedagem compartilhada.

Certifique-se de que os preços descritos nos anúncios condizem com a localização e o período do aluguel. Anúncios com valores muito abaixo do mercado para esta época do ano, em locais de grande procura, podem ser indicativos de alguma prática ilícita.

Uma dica é procurar profissionais do ramo, como agências de viagens e imobiliária. Isso poderá facilitar na hora de fechar o negócio e evitar fraudes. Peça sempre o registro profissional (CRECI) do corretor de imóveis para ter certeza que não se trata de um estelionatário.

É importante também verificar se o endereço realmente existe e se é um imóvel residencial, o que pode ser feito através de sites de buscas e de mapas online. Se possível, agende uma visita prévia antes de alugar.

Tenha atenção na hora de efetuar o pagamento

É preciso que o locador tenha cuidado na hora de efetuar o pagamento pela locação. Com a popularização das transferências eletrônicas, como o Pix, deve-se redobrar a atenção para chaves falsas que simulem agências de hospedagem ou companhias aéreas, por exemplo. Muitas vezes tais empresas não aceitam essa modalidade de pagamento, o que também pode ser indício de golpe.

Se for sua primeira vez realizando locação online, peça ajuda a quem possui experiência. Na euforia de realizar um “bom negócio”, podemos tomar decisões precipitadas que um pouco de cautela evitaria. Solicite um tempo para pensar sobre o negócio. Não feche negócio por impulso. Além disso, desconfie se houver insistências em receber o valor todo de uma vez só e de maneira muito rápida.

Caí no golpe, e agora?

Se você foi vítima do golpe do “falso aluguel”, compareça a uma Delegacia de Polícia mais próxima para registrar um Boletim de Ocorrência. É importante levar documentos que possam auxiliar na investigação criminal, como capturas de tela, comprovantes de transferência bancária, entre outros.

O boletim também pode ser realizado de forma virtual, através da Delegacia de Polícia Virtual.

Com informações da Polícia Civil de Santa Catarina