black friday, famosa campanha de promoções no qual várias lojas no Brasil adotaram há uma década, acontece a partir desta sexta-feira, dia 25. Conhecida por ter várias promoções, os consumidores podem comprar produtos com descontos especiais. Porém, as pessoas devem ficar atentas a possível golpes, evitando de ter prejuízo. De acordo com a especialista em Direito do Consumidor e Direito Público, advogada Karoline Calegari, o bom consumidor é aquele que já está planejado para as compras na black friday. Já o consumidor que não está antenado aos preços do mercado deve prestar atenção nas propagandas e não cair na chama “black fraude”.

A especialista Karoline participou de entrevista no programa Comando Marconi e explicou mais detalhes. Ouça na íntegra as dicas para não cair em golpes:

 

  1. Propagandas e valores: Conforme Karoline, o consumidor vai perceber um aumento de propagandas, sejam através de mensagens, nas redes sociais ou na caixa de e-mails. “Vai começar a aparecer muitas propagandas com preços muito abaixo do valor do mercado. Importante que o consumidor fique atento justamente aos valores desses produtos. Se eu percebo que aquele produto está com um valor de fato muito abaixo, já tem que se desconfiar”, ressalta.
  2. Evite clicar em links desconhecidos: Muitas dessas propagandas virtuais podem já ser fraudulentas no link do site. O consumidor pode acabar passando os dados pessoais, principalmente os bancários, para o site falso sem saber ao tentar fazer a compra. Mesmo que o site aparente ser o verdadeiro, Karoline ressalta que é importante verificar o CNPJ que existe no rodapé do site.
  3. Site da empresa tudo certo, agora verificar o pagamento: A advogada comenta que todo o pagamento da compra deve ser realizado no próprio site onde foi verificado o produto. “Muitas vezes aqueles que aplicam essas fraudes vão para o WhatsApp e mandam um link para você fazer o pagamento”, exemplifica Karoline. Além disso, é importante verificar os dados de quem está recebendo o dinheiro, principalmente se for pagamento via Pix ou no boleto. “A gente sempre tenta dar a dica de priorizar o pagamento por cartão de crédito, porque se houver alguma divergência fica mais fácil de fazer o estorno desses valores”, reforça.
  4. A fraude não está somente no virtual: Muitos consumidores podem cair em golpes em lojas físicas também, principalmente no momento do pagamento. Conforme Karoline, muitas pessoas acabam não verificando o valor que está na maquininha na hora de pagar usando o cartão. Os golpistas podem colocar um valor mais alto na compra e o consumidor pode acabar pagando sem notar isso. Outro caso que pode ocorrer é o golpista trocar de cartão quando o comprador entrega o cartão para ele inserir na maquininha.

Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba as principais notícias que foram destaques na programação da Marconi FM