Sensibilizar a importância do enfrentamento da violência faz parte da campanha ‘Meu Lar Protetivo’, uma nova ação de conscientização lançada em Criciúma pelo Governo do Município, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social. A ação foi lançada nesta segunda-feira, dia 21, abrindo a semana de mobilização sobre o tema, que encerra na sexta-feira, dia 25, Dia Internacional de Luta contra a Violência sobre a Mulher. O evento, realizado no Salão Ouro Negro, no Paço Municipal, mostrou os direitos de proteção da mulher em situação de violência, com a finalidade de mobilizar e conscientizar a comunidade em geral.

“A violência não acontece em público, elas acontecem dentro do próprio lar e, geralmente, não são vistas. Então, é de extrema importância e necessário discutir sobre o tema e divulgar os meios para denunciar e protegê-las”, enfatizou a coordenadora de média e alta complexidade da Secretaria de Assistência Social, Edla Mazzuco Coan.

A maior parte das ocorrências de agressões acontecem nos próprios lares das vítimas, por pessoas dos seus convívios sociais e envolvidas emocionalmente. Conforme Edla, essas situações destroem aos poucos a autoestima da mulher, fazendo elas se sentirem incapazes e limitadas para conseguirem pedir ajuda tanto de profissionais quanto de pessoas próximas.

“Os casos de violência contra as mulheres são frequentes no município, mas as denúncias não correspondem a sua totalidade. De janeiro de 2022 até o momento a Secretaria de Assistência Social acompanha 75 mulheres vítimas de violência, sendo que 27 delas precisaram de acolhimento, por meio dos serviços de proteção que o município de Criciúma oferece”, ponderou.

Atividades de sensibilização

Segundo a coordenadora, a campanha pretende levar o tema aos adolescentes, adultos e idosos. “Queremos sensibilizar e informar por meio de palestras e rodas de conversas nas escolas, grupos de famílias nos Cras (Centro de Referência de Assistência Social), clubes de mães e nos grupos de idosos a importância do tema. Como, por exemplo, quais os tipos de violência, como identificar, o que fazer e quais os mecanismos de denúncias que existem”, destacou.

As primeiras palestras de conscientização já foram realizadas em cinco escolas do município, para alunos do Ensino Fundamental, além de duas turmas da Educação para Jovens e Adultos (EJA).

Serviços de proteção no município

De acordo com o secretário de Assistência Social e Habitação, Bruno Ferreira, além das atividades de sensibilização que a campanha oferecerá, alguns serviços que o município de Criciúma já apresenta para as mulheres que precisam de ajuda nessas situações são: os serviços de prevenção nos Cras e os atendimentos e acompanhamentos pelo Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social).

O assunto foi abordado em entrevista no Comando Marconi com o secretário Bruno. Ouça mais na íntegra:

 

“Além disso, a Secretaria também recebe constantemente nessas situações o apoio da Polícia Militar, por meio da Rede Catarina e também do Ministério Publico. Deste modo, nossos serviços objetivam oferecer a mulher vítima de violência todo o apoio que ela necessita naquele momento, para superar o quadro de violência. Assim, preservando suas vidas e também as vidas dos seus filhos”, concluiu o secretário.

A Polícia Militar e o Ministério Público de Santa Catarina são parceiros da Campanha Meu Lar Protetivo, e ministram as palestras junto às equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social e Habitação.

Colaboração: Patrick Stüpp / Decom