O Dia Mundial do Diabetes é lembrado nesta segunda-feira, dia 14 de novembro. O tema da campanha deste ano é “Educar para Proteger o Futuro”. Não há estatísticas de quantas pessoas com diabetes ainda não têm o tratamento adequado, mas é possível afirmar que o acesso ao tratamento é diferente variando do local do país. A gerente de Operações do Instituto Correndo pelo Diabetes (ICPD), Gabriela Cavicchioli, ressalta que o tema deste ano tem o objetivo de dar acesso à educação em diabetes, além de levar conhecimento sobre o acesso das pessoas ao acompanhamento médico na frequência adequada, assim como de outros profissionais de saúde como nutricionista e enfermeiro para a realização do processo educativo em relação à doença, e ao psicólogo, fundamental para a aceitação e de todos os desafios que vem junto com o diabetes.

A equipe interdisciplinar é essencial para que a pessoa com diabetes esteja preparada para ter autonomia no seu autocuidado. “A realização dos exames periódicos para avaliação do controle da condição e das complicações crônicas também deveriam ser acessíveis a todas as pessoas com diabetes: fundo de olho, microalbuminúria em amostra isolada, avaliação dos pés e análise cardiovascular precisam ser realizadas anualmente nas pessoas com diabetes”, explica Gabriela. O assunto foi destaque em entrevista no Ponto de Encontro. Confira na íntegra:

 

A gerente de Operações do ICPD ressalta ainda que o acesso a realização do monitor e fitas, conforme protocolos do Ministério da Saúde, deveriam ser garantidos a toda população. “Pessoas em uso de insulina muitas vezes não recebem tiras por falta de disponibilidade dessas ou por falta de monitor de glicemia. Em muitos momentos, temos atrasos na entrega de insumos que são essenciais para a vida dessas pessoas, como os materiais para uso da bomba de insulina. Outro ponto relevante é a incorporação dos análogos de insulina lenta que tem sido discutida. Resumindo: sem acesso, aumenta o risco de complicação crônica e, consequentemente, piora a qualidade de vida das pessoas e aumenta o custo para o nosso sistema de saúde”, conta Gabriela.

Além de incentivar a prática da atividade física e ressaltar sobre a importância que ela tem para a saúde, principalmente, para que tem diabetes, o objetivo do Instituto Correndo pelo Diabetes também é o de aproximar o paciente dos tratamentos disponíveis.

Colaboração: Débora Torrente / Gengibre Comunicação