O cuidado com a saúde masculina é ainda mais reforçado durante este mês, quando se é promovida a campanha do Novembro Azul. A ação tem o objetivo de ressaltar a importância do cuidado e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Conforme o médico da família da Secretaria de Saúde de Urussanga, doutor Erick Honorato Baggio, todos os homens apresentam o aumento da próstata a partir dos 50 anos de idade, já que é algo normal do organismo. O problema está quando a próstata aumenta demais, gerando o câncer. “O grande perigo é que geralmente, quando é o câncer, ele não causa os sintomas. Por isso que é importante a gente começar a fazer o exame, tanto o de toque quanto o exame PSA, para a gente observar se está crescendo demais ou não”, explica o especialista.

De acordo com Erick, o câncer de próstata atinge toda a região, que está localizada embaixo da bexiga e na frente do intestino reto. “A próstata engloba toda a nossa uretra, que é o canal da urina. Em geral, é a parte posterior que acomete o câncer de próstata, então, se crescer ali, ele não está em contato com o canal da urina e não vai dar sintoma. Por isso que é tão importante a gente fazer esses outros exames”, comenta. Conforme o médico, quando o paciente começa a sentir sintomas é porque o câncer já está avançado. “Geralmente é a dificuldade para iniciar a micção, dor para urinar, às vezes alguma alteração na cor da urina e vir um pouco de sangue”, fala Erick sobre os sintomas.

O doutor Erick participou de entrevista no programa Comando Marconi e explicou mais sobre a doença. Ouça mais detalhes:

 

Baggio ressalta que o ideal é fazer o diagnóstico do câncer logo no início, para que o tratamento seja realizado o quanto antes. “Tem menos efeitos colaterais com relação à radioterapia, harmônio terapia… Então é essa que é a importância de fazer a prevenção”, frisa. O especialista ainda esclarece que existem três fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de próstata: histórico familiar, obesidade, e a cor da pele, no qual homens negros têm maior possibilidade de ter a doença. A obesidade é um fator no qual se consegue mudar, através de hábitos de vida mais saudáveis, como a alimentação adequada e a prática de atividades físicas.

Leia também:

Novembro Azul: Urussanga com horário especial para exames e ações diversas de conscientização