A semana está sendo de capacitação e implantação de uma nova ferramenta no Conselho Tutelar de Urussanga. Atualmente, o Conselho é composto por cinco conselheiras tutelares, mas o Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente (SGD), envolve, além das conselheiras, os diretores das escolas municipais e estaduais, diretoria do esporte, agentes comunitários de saúde, integrantes da Assistência Social, CRAS, CREAS, Polícia Civil e Militar. Nesta segunda-feira, dia 7, toda a rede participou do primeiro momento do evento, que contou com duas palestras.

“Nós solicitamos essa capacitação porque percebemos a necessidade. A lei exige que o Conselho Tutelar tenha capacitação continuada, que deve ocorrer ao menos uma vez ao ano e sabemos da importância de capacitar para que todos ‘falem uma só língua’ na rede de atendimento”, explica a conselheira tutelar, Camila de Aguiar Zanelato.

Segundo a palestrante Grazy Damacena Gabriel, que é ex-conselheira tutelar, mestre em Direito, presidente do Fórum Nacional dos Conselheiros Tutelares, pesquisadora da Infância e do Adolescente e Consultora Internacional da Unicef, o Brasil ainda apresenta muitas falhas no sistema de garantias de direito. “Precisamos garantir que as políticas públicas deem condições para as famílias cuidarem de seus filhos, por isso a importância do diálogo e da ação conjunta entre as secretarias para esse trabalho”, destacou.

Para ressaltar o papel da educação e das instituições de ensino no assunto, Margarida Delfino, que é pedagoga, pós-graduada na Educação, ex-conselheira tutelar; atualmente acadêmica da área do Serviço Social e integrante do CRAS – Unidade Central de Criciúma, também palestrou no evento.

O assunto foi destaque em entrevista no Comando Marconi com a conselheira Camila e com a palestrante Grazy. Ouça mais:

 

Implantação do Sipia-CT

A capacitação segue até sexta-feira, dia 11, na sede do Conselho Tutelar de Urussanga, onde além de estratégias de trabalho, será realizado a qualificação dos conselheiros tutelares para uso do Sistema de Informação para a Infância e Adolescência do Conselho Tutelar (Sipia-CT). “Estaremos implantando o Sipia, que é um sistema integrado nacional de registro e tratamento de informações sobre a garantia e defesa dos direitos fundamentais preconizados no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Quando uma família é cadastrada nesse sistema, os Conselhos Tutelares de todo o país conseguem ter acesso às informações dessa família, para maior controle e acompanhamento dos casos”, garante Camila.

Colaboração: Ana Paula Nesi / Assessoria de Imprensa