No Brasil, os homens costumam demorar mais para procurar um médico e só o fazem quando sentem algum sintoma preocupante, o que pode resultar em danos irreversíveis à saúde. Levantamento realizado pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), com dados do Sistema de Informação Ambulatorial do Ministério da Saúde, aponta que o número de atendimentos de adolescentes meninos de 12 a 18 anos ao urologista é 18 vezes menor que o de atendimentos de meninas ao ginecologista da mesma faixa etária.

Conforme o urologista, Rozenir Ramos, o contato tardio ao médico dificulta cada vez mais a prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças como o câncer de próstata, por exemplo. “Na maioria dos casos as meninas, que deixam a fase do pediatra, seguem cuidando da saúde com o ginecologista, enquanto os meninos não. Eles só procuram o médico quando apresentam algum problema de saúde o que já pode ser tardio”, explica. Segundo Ramos, a recomendação é que o homem procure o urologista desde o início da puberdade, ou seja, por volta dos 11 anos, quando começam a ocorrer transformações notáveis no corpo. “Os meninos também devem cuidar da saúde genital e reprodutiva, como estarem atentos à vacinação contra o HPV, que é preventiva ao câncer provocado por este vírus, como outras medidas preventivas a outros tumores e doenças”, reforça.

O programa Ponto de Encontro abordou mais sobre o assunto e o câncer de próstata em entrevista com o doutor Rozenir. Ouça mais:

 

Segundo o especialista, consultar o urologista e manter visitas periódicas ajuda não só no diagnóstico precoce de várias doenças, como também na criação de uma rotina de cuidados com a saúde ao longo da vida. “A aproximação precoce do menino com os cuidados de saúde, incluindo a genital, é importante para a qualidade de vida, para as relações e para a saúde global, seja através do urologista, do clínico geral ou de outros especialistas”, enfatiza.

Câncer de próstata

O câncer de próstata é o mais incidente no homem (excluindo-se o câncer de pele não melanoma) e o segundo que mais mata, atrás do câncer de pulmão. Dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde revelam que, de 2019 a 2021, foram mais de 47 mil óbitos em razão desse tipo de tumor. No ano passado, 16.055 homens morreram em consequência da doença, o que corresponde a cerca de 44 mortes por dia. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), são esperados 65.840 novos casos de câncer de próstata em 2022.

Colaboração: Fernanda Zampoli / Assessoria de Imprensa para Gomedplus