A Cooperja, através de uma parceria com banco Itaú BBA, disponibilizou a seus associados uma alternativa para a captação de recursos, buscando minimizar os efeitos do aumento de custo e da maior necessidade de dinheiro para implantação das lavouras. Através da cooperativa, o produtor rural consegue valores com rápida aprovação por meios digitais, menor burocracia e menor taxa de juros.

Segundo Jaison da Silva Corrêa, officer comercial do Itaú BBA, a Cooperja é pioneira neste projeto que já possibilitou volume expressivo de recursos para dezenas de cooperados. “O banco criou esta estrutura em 2022, então esta parceria está iniciando em um projeto piloto. Através dos associados, financiamos seus insumos por meio de operações de crédito rural ou CPR e conseguimos atender tanto os cooperados quanto a cooperativa. Já atendemos mais de 33 cooperados com volume expressivos de recursos e a tendência é que cada ano consigamos fortalecer ainda mais esta parceria”, espera Corrêa.

Por enquanto, o projeto não consegue atender produtores enquadrados no Pronaf, mas sim os que se enquadram no RO Pronamp e RO demais, que são os médios e grandes produtores, conforme regra do Manual de Crédito Rural do governo.

Para Karen Granzotto Oliani, officer em parcerias no Itaú BBA a ideia é trazer alternativas de custeio para o produtor de forma ágil e simples. “Não trazemos outros tipos de produtos que não tem a ver com atividade rural. Muitos bancos oferecem seguro de vida, capitalização, consórcio, que não é o que o produtor rural está procurando. Queremos oferecer o custeio de forma simples e ágil. A conta não tem cobrança de manutenção, não cobramos taxa de projetos e a nossa ideia é estar perto do produtor e junto com a cooperativa gerando mais valor e criando uma parceria de longo prazo, com relacionamento duradouro. Temos o compromisso com a ética e somos transparentes para atender a todos da melhor forma possível”, explica Oliani.

O associado Geisel Dal Pont declara que o processo foi simples e rápido. “A vantagem deste financiamento foi a rápida aprovação, não teve custo com cartório, não teve correria com tanto papel. E as taxas de juros são atrativas até abaixo do mercado. Sem contar os processos digitais que não preciso sair de casa para tudo. Veio em boa hora esta parceria em um ano que está sendo muito difícil”, destaca.

Colaboração: Aline Somariva / Assessoria de Imprensa