Na noite do dia 9 de outubro de 1963, às 22h39, em Longarone, no norte da Itália, uma parte do Monte Toc, ou o equivalente a 200 milhões de metros cúbicos de rocha e terra, caíram de uma só vez dentro do lago artificial, da represa de Vajont. Uma obra prima da engenharia mundial, que se tornou causa de uma das maiores tragédias do mundo.

O deslizamento do monte causou uma onda de mais de 200 metros de altura, não prevista pela equipe técnica da represa que, por pensar não haver risco, não alertou a população que vivia uma noite normal logo abaixo do local do ocorrido. O que aconteceu depois é aterrorizante: parte de Longarone, com suas construções e aproximadamente dois mil habitantes, desapareceu, levada pela força da água, tornando-se uma pilha de escombros.

Erros humanos culminaram neste resultado trágico para aquela região, que carrega até hoje as marcas daquela noite. Um acontecimento anunciado pela natureza e um alerta minimizado pelos técnicos da época.

Em Urussanga, a tragédia também foi sentida pelos descendentes de italianos oriundos daquela região, e que tinham em Longarone, parte da história de suas famílias, antepassados e até parentes diretos.

Programação Especial

Devido a ligação histórica e fraternal de Urussanga com Longarone, uma programação especial em homenagem às vítimas da tragédia, que neste domingo, dia 9, completa 59 anos, será realizada em Urussanga.

Neste domingo, representantes da cultura urussanguense estarão participando no Programa La Voce Della Benedetta, na Rádio Marconi, das 11h30 às 13h. “Durante o programa, teremos a participação de cidadãos longaronenses, falando diretamente da Itália, sobre a tragédia e a história daquele local”, conta a coordenadora da Cultura, Léia Mariot.

Na segunda-feira, dia 10, uma missa na Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, às 18h30, será celebrada em italiano pelo padre Valdemar Carminati e cantada pelo Coral Santa Cecília. “Contaremos com a colaboração da Associação Amici di Longarone e das Professoras de Língua Italiana da Rede Municipal de Ensino na liturgia e no ofertório”, comenta Léia. Além disso, durante a próxima semana, uma exposição com imagens da tragédia será realizada no saguão da prefeitura, junto ao Memorial do Gemellaggio.

Colaboração: Ana Paula Nesi / Assessoria de Imprensa