A defesa do vereador de Urussanga, Rozemar Sebastião (PDT), o Taliano, irá denunciar a Câmara de Vereadores ao Ministério Público. A defesa alega que a sessão extraordinária da Comissão de Investigação e Processante (CIP) contra o parlamentar não pode ser realizada no domingo, dia 15, como foi comunicado pelo Legislativo. A votação da cassação ou não do mandato de Taliano estava marcada para acontecer na manhã de hoje, dia 13, mas foi transferida por conta de uma decisão judicial que atendeu o pedido de vista do relatório final por parte do vereador membro, Odivaldo Bonetti (PP), o Bonettinho.

Em entrevista ao Comando Marconi, o advogado do Taliano, doutor Alessandro Balbi Abreu, afirmou que, ao marcar a sessão extraordinária para domingo, a Câmara de Vereadores descumpriu  ordem judicial. O advogado ressaltou que é necessário respeitar o prazo de vista, que é de dois dias úteis. Além disso, Abreu afirmou que o regimento não conta o dia em que o pedido de vista foi aprovado. A defesa disse que a votação da CIP contra Taliano não tem como ser feita antes de quarta-feira, dia 18. Porém, o assessor jurídico do Legislativo, doutor Pierre Augusto Fernandes Vanderlinde, afirmou que o procedimento da CIP se trata de um processo de natureza jurídica decadencial, ou seja, não é contado em dias úteis, e sim de maneira corrida, sendo que os trabalhos podem ser realizados no final de semana.

O advogado de Taliano ainda disse, em entrevista, que estão sendo feitas manobras políticas para que o mandato do vereador seja cassado. Isso porque quem protocolou a formação da CIP foi o partido do MDB, sendo que o presidente do Legislativo e o presidente da Comissão são vereadores do MDB. Além disso, o advogado frisou que, ao realizar uma sessão extraordinária no domingo, a Câmara estará gerando despesas e que quem paga é o morador de Urussanga. “Então a gente já está partindo de uma situação que é uma evidente conotação política para uma situação de crime, crime de responsabilidade, improbidade administrativa, e tudo isso está sendo denunciado hoje mesmo ao Ministério Público. Eu acho que tudo tem limite, tudo tem limite, até manobra política tem limite”, comentou o advogado.

Ouça mais detalhes na entrevista na íntegra:

 

Em contrapartida, o assessor Pierre justificou que não há motivos para não fazer a sessão extraordinária no domingo, já que a concessão de vista também se dá em dias corridos (contando final de semana). “Os dois dias terminam no sábado, e terminando no sábado não há problema algum, isso há previsão expressa no regimento interno, de que a reunião extraordinária possa acontecer no domingo”, ressaltou. Doutor Pierre também participou do Comando Marconi e explicou mais detalhes da situação. Ouça a entrevista completa:

 

CIP contra Taliano é transferida para domingo após decisão judicial

Karine Possamai Della / Da Redação