Foi aprovado a instauração de uma Comissão de Investigação e Processante contra o vereador Rozemar Sebastião (PDT), o Taliano, no Legislativo de Urussanga. O pedido foi instaurado pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e tem o objetivo de apurar possível prática de condutas incompatíveis com o decoro parlamentar por parte de Taliano. A instauração da comissão foi aprovada, por cinco votos a três, durante a sessão desta terça-feira, dia 08. A comissão é composta pelos vereadores: Luan Varnier (MDB) como presidente, Fabiano De Bona como relator (PSDB), Odivaldo Bonetti (PP) como membro.

Varnier disse que após essa aprovação, a Câmara tem cinco dias para encaminhar a notificação. O presidente da comissão participou de entrevista no programa Comando Marconi e explicou mais detalhes sobre as investigações que irão iniciar sobre o assunto. Ouça:

 

Em entrevista, Taliano afirmou que está sofrendo perseguição política por defender a volta de Luis Gustavo Cancellier (PP), prefeito que está afastado desde maio por causa da Operação Benedetta da Polícia Federal. “Por que afastar somente eu? porque eu sou o voto de diferença, eu anunciei que eu defendo o Gustavo enquanto não tiver prova. Enquanto não tiver prova que o prefeito afastado mexeu em um real, enquanto não tiver provas em mãos, eu continuo defendendo e isso incomoda muita gente, incomoda principalmente o MDB que é o mais interessado no afastamento”, comentou.

Taliano continuará exercendo seus trabalhos na Câmara normalmente enquanto há as investigações pela comissão. O parlamentar ainda falou sobre o momento da votação da instauração, onde não pode votar porque, de acordo com a Lei, seria interesse de causa própria. Com isso, o suplente Erotides Borges (PDT) assumiu o lugar de Taliano na Câmara somente no momento da votação, onde votou a favor da abertura da comissão. “Ele (Erotides) sim votou, ele não é interesse em causa própria? Como ele votou a favor para investigar, que eu não acho errado não, acho que os vereadores fizeram certo, vão investigar, só espero que me dão chance de eu me explicar, então porque é dois pesos, duas medidas, eu não posso votar porque dá votar em causa própria, e o suplente pode votar, é um absurdo”, ressaltou.

Saiba mais na entrevista completa com o vereador Taliano para o programa Comando Marconi sobre a instauração da comissão. Ouça:

 

Taliano havia sido afastado do cargo, junto com Fabiano e Odivaldo, na Operação Hera da Polícia Civil, no dia 13 de dezembro. Em fevereiro, a Justiça determinou a volta dos três parlamentares aos trabalhos da Câmara. No mesmo mês, o Legislativo havia aprovado a instauração da Comissão de Investigação e Processante dos três parlamentares afastados, tendo o Juiz Roque Lopedote, da 2ª Vara da Comarca de Urussanga, emitido decisão contrária ao pedido, quando a comissão foi suspensa. Agora, a Câmara aprovou a comissão para a investigação de Taliano.

Confira a sessão da Câmara de Vereadores de Urussanga realizada nesta terça-feira, dia 08. O início da votação para a instauração da comissão começa a partir de 2 horas. Veja: