O Plano de Mobilidade Urbana de Morro da Fumaça será votado pela Câmara de Vereadores na sessão desta terça-feira, dia 08. O documento, já encaminhado pela Secretaria Municipal de Infraestrutura, contou com a participação popular para o poder público encontrar soluções para problemas recorrentes na circulação de carros e pedestres, na acessibilidade de pessoas com deficiência e no transporte coletivo.

De acordo com o secretário de Infraestrutura, Natan de Souza, o plano foi desenvolvido de uma maneira responsável, técnica e sustentável, visando contribuir com a qualidade de vida da população fumacense. “Somos uma cidade em pleno crescimento, por isso precisamos identificar potenciais problemas e procurarmos evoluir. O desenvolvimento vem com rotas de tráfego otimizadas, melhores malhas viárias e condições que permitam o deslocamento de meios de transporte não motorizados, como as bicicletas”, explicou.

Mobilização social

O início dos trabalhos aconteceu com a formação de grupos de trabalho, formados por técnicos da Prefeitura de Morro da Fumaça e representantes da sociedade civil. Uma consulta pública foi aberta no site do governo para a comunidade apresentar sugestões. Depois, populares puderam participar de uma audiência pública, a fim de estreitar as conversas em prol do processo de elaboração do plano. O resultado final, agora, depende da aprovação do Legislativo.

“O diagnóstico foi fundamental para identificação das vulnerabilidades quanto à mobilidade urbana de Morro da Fumaça. Caracterizamos o cenário atual e definimos metas e objetivos que nortearão investimentos e projetos para nossa cidade”, destacou o responsável pela pasta.

O prefeito Noi Coral lembrou que projetos de infraestrutura executados atualmente já utilizam conceitos apresentados no Plano de Mobilidade Urbana. “Um deles é a revitalização da área central da cidade, que aperfeiçoará as vagas de estacionamento, padronizará as calçadas e valorizará os pedestres, garantindo a acessibilidade de pessoas com deficiência”, pontuou o chefe do Executivo. O projeto também prevê a criação de ciclofaixas que interligam diferentes bairros e a implantação de áreas de convivência.

Colaboração: Gustavo Milioli / Assessoria de Imprensa