O Ponto de Encontro desta semana  falou sobre os desafios no tratamento do alcoolismo.  Apresentado pelo comunicador Jair de Ávila, o programa recebeu o responsável pelas relações públicas do Alcoólicos Anônimos do Brasil (A.A.). O companheiro Fábio, aceitou participar do programa sob a condição de conservar seu anonimato. Nesta edição especial, os ouvintes tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais das ações e trabalhos desenvolvidos pela Irmandade.

“A instituição está presente no mundo todo hoje.  O Alcoólicos Anônimos é uma referência para ajudar, para auxiliar pessoas. Na verdade, nós somos uma Irmandade de homens e mulheres que compartilham nossas experiências, forças e esperanças em busca de resolver um único problema que é parar de beber. Então, para as pessoas que desejam, que tiveram algum problema por causa do álcool, e que perceberam que são constantes e estão aumentando, podem procurar a gente”, conta Fábio.

Cada pessoa tem uma história relacionada ao alcoolismo, nas reuniões, nas conversas, no compartilhamento de experiências. Fábio comentou sobre o início do vício e as principais consequências e estragos que o alcoolismo pode fazer na vida dos dependentes. “A pessoa começa a beber igual as outras, como qualquer pessoa normal que não tem a predisposição. No início todo mundo bebe muito parecido, bebe para descontrair, para ir em uma festa, porque acredita que o álcool pode auxiliar ela em algum momento da vida. A diferença, ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, o alcoólico não é aquele que passa mal, que fica e tem problemas, não, é o contrário. Geralmente o alcoólico é aquela pessoa que bebe mais que os outros e no final ele que dirige, ele que carrega e leva as pessoas para dentro da casa. Esse é o que vai ter problema, ele aprende a se relacionar e acaba virando um hábito”.

Ouça a entrevista completa abaixo:

 

Fábio explica que a pessoa que sofre com o alcoolismo ou sua família precisam procurar ajuda, pois há uma dificuldade muito grande na aceitação da doença. “Falta muita informação sobre isso. Uma das principais características da doença do alcoolismo é que a pessoa perde a noção da realidade, ela não consegue enxergar direito o que tá acontecendo com ela, você não consegue enxergar, não consegui perceber. Na verdade, o que é muito necessário para os parentes e amigos que estão ouvindo, é muito importante a presença da família e de pessoas à sua volta para ajudar”.

Depois de dependente, é necessário buscar ajuda para superar o vício. Segundo Fábio, profissionais da saúde podem auxiliar neste processo. “Quando está em um caso muito avançado, é sim necessário você procurar ajuda médica. Em casos extremos em que a pessoa pode estar numa dependência tão grande que você tira totalmente o álcool dela, ela começa a ter delírios trêmulos, a ter visões, ela pode vir a ter um colapso que pode dar uma parada cardíaca e derrame. Então, muitas vezes a parada brusca em casos extremos pode levar a um problema maior de saúde. Por isso, é necessário e indicamos procurar o médico, procurar um tratamento, onde vai ser realizado o desmame. O médico vai saber como lidar com um caso e que tipo de medicamento pode utilizar para que essa pessoa consiga. Às vezes isso é feito em internações, em clínicas especializadas em dependência do alcoolismo, comunidades terapêuticas, enfim, existem vários modelos que podem auxiliar nessa questão” destacou o representante do Alcoólicos Anônimos do Brasil.

O doutor Ronaldo Passos da Silva, médico cardiologista, atendeu ao convite da nossa reportagem e apresentou o seu depoimento referente aos malefícios causados pelo abuso das bebidas. “O álcool ele é muito prejudicial à saúde, principalmente, também as doenças do coração. O álcool em excesso ele pode provocar hipertensão, arritmias, e em casos mais extremos, pode causar até mesmo uma insuficiência cardíaca, que é devido a uma doença do álcool no coração chamada miocardiopatia dilatada”, alerta o especialista.