A pequena Anna Laura Orsi Batista, a Laurinha, segue se recuperando após ter ficado internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) durante 24 dias por conta de um resfriado. A mãe, Ana Paula Orsi, contou que a Laurinha acordou no dia 6 de dezembro com um resfriado. Por conta dos sinais vitais estarem alterados, a pequena foi encaminhada ao Hospital Samaritano, em São Paulo, já que a família estava lá, e no mesmo dia foi internada. A princípio, suspeitava-se de que a pequena estava com bronquiolite, porém, o diagnóstico concluiu que era o rinovírus. Devido a Atrofia Muscular Espinhal (AME), Laurinha apresentou muita fadiga respiratória, sendo necessária a intubação, onde permaneceu por cinco dias.

Laurinha seguiu no hospital até o dia 30 de dezembro. A mãe conta que a menina nunca apresentou nenhuma intercorrência como esta em seus dois anos de vida. O especialista que atendeu ela afirmou a mãe de que foi graças ao Zolgensma, o remédio mais caro do mundo para a AME, que a Laurinha conseguiu suportar ao resfriado. A mãe Ana Paula participou de entrevista no programa Ponto de Encontro e explicou mais sobre a recuperação da Laurinha. Acompanhe na íntegra:

 

A família já está em Santa Catarina, mas o pneumologista alertou para que a Laurinha ficasse em observação durante 60 dias, já que os seus pulmões estão muito frágeis. Além disso, a mãe contou em entrevista que o dia que foi necessário intubar a sua filha foi um dos mais difíceis para ela. Entretanto, Ana Paula entendeu que era aquilo que a Laurinha precisava no momento para salvar a vida. Segundo ela, após cinco dias, a menina foi extubada com sucesso.

Dia Z

Após oito meses depois de ter recebido o Zolgensma, o remédio mais caro do mundo, para o tratamento da AME, a Laurinha segue se recuperando progressivamente. A campanha Salve a Laurinha ganhou força em todo o estado para a arrecadação de R$ 10 milhões para a aquisição do medicamento. Em abril do ano passado, a mobilização conseguiu o valor e a Laurinha recebeu o Zolgensma no dia 8. Desde então, a pequena vem sendo avaliada e apresenta um progresso em sua saúde.

No dia da aplicação, a mãe relata que a Laurinha teve uma pequena reação alérgica ao medicamento. Ela foi a primeira criança do mundo a registrar tal reação após receber o Zolgensma. Por isso, o medicamento foi aplicado de forma diferente, onde foi necessário interromper e aplicar de uma forma mais lenta. Mesmo assim, Laurinha não apresentou muitas alterações na enzima do fígado. A menina segue com acompanhamentos em exames laboratoriais e a realização de fisioterapias, que são procedimentos que a ajudam a se recuperar cada vez mais.