O ex-vice-prefeito de Urussanga, Luiz Henrique Martins (Cuíca), falou sobre a protocolação do pedido de cassação do prefeito afastado e dos motivos que levaram a denúncia na Polícia Federal. Martins esteve no estúdio da Rádio Marconi e apresentou com exclusividade os fatores que foram observados por ele e o, até então, vereador Júlio Bonetti, a procurarem a Polícia Civil em 2020 para realizar a denúncia contra os envolvidos. De acordo com Cuíca, no ano passado, Bonetti suspeitava da situação porque quando solicitava a gestão municipal sobre as informações das obras, conforme Cuíca, essas informações não eram passadas ou eram entregues omissas ou pela metade.

“Eu e o Júlio conversamos com dois engenheiros daqui da região, mostramos para eles e eles falaram, claramente, para nós: estão roubando na sua cidade”, comentou Cuíca. Conforme o ex-vice-prefeito, após isso, ele procurou um colega seu que é conhecedor no ramo de pavimentações asfálticas, e o mesmo analisou uma planilha de uma obra de asfaltamento. “Ele disse para mim que ‘tem gato aí e não é pouco’, assim, só olhando por cima pelos valores e ele passou pela obra comigo”, afirmou. Cuíca explicou que levou certo tempo até se formar um documento sobre as suspeitas para procurar a autoridade policial. Os dois cidadãos procuraram a Polícia Civil para realizar a denúncia, a entidade os orientou a procurar a Polícia Federal, ainda em 2020. Concomitante a isso, o vereador Elson Roberto Ramos (MDB), realizou a denúncia sobre o caso envolvendo Luis Gustavo Cancellier ao Ministério Público Federal.

A respeito da protocolação do pedido de cassação, Cuíca ressaltou que é compromissado com a verdade e que a suspeita do caso lhe causou indignação. “A motivação já veio da gente, de se indignar com o que é errado”, afirmou. Ouça na íntegra os detalhes apresentados pelo ex-vice prefeito Luiz Henrique (Cuíca) ao Comando Marconi:

Parte 01

 

Parte 02

 

 

Defesa do prefeito afastado Luis Gustavo Cancellier se pronuncia sobre indiciamento da PF