O presidente do Legislativo de Urussanga, Odivaldo Bonetti (PP), e o líder da bancada de oposição ao governo, Luan Varnier (MDB), manifestaram-se sobre a Operação Benedetta. Nesta segunda-feira (13), a Polícia Federal concluiu o inquérito que indicia 14 pessoas, incluindo o prefeito afastado Luis Gustavo Cancellier. A operação apurou possível má aplicação dos recursos do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) contratados pela prefeitura. Na manhã de hoje (14), os dois vereadores se manifestaram a respeito da conclusão do inquérito e do indiciamento de pessoas ligadas a gestão municipal em entrevista ao Comando Marconi.

O vereador Bonetti frisou que a PF apenas indiciou os 14 envolvidos e que não houve a condenação. “Não podemos condenar ninguém antes do tempo, mesmo porque essa investigação foi para o Ministério Público, que vai ver se tem elementos ou não para iniciar uma ação penal contra o prefeito”, afirmou. O presidente da câmara disse em entrevista que irá reunir a mesa diretora e solicitar ao Poder Judiciário o relatório na íntegra da Polícia Federal, para que os vereadores tenham acesso ao processo. “Para nós analisarmos realmente se houveram esses crimes e se tem prova o suficiente para isto”, ressaltou. O processo ainda permanece em segredo de justiça. Saiba mais detalhes da entrevista a seguir: 

 

Já a oposição, vereador Luan, afirmou que defende a cassação do mandato do prefeito afastado. Varnier disse que uma Comissão Processante será formada para investigar os possíveis crimes que são apontados para averiguar a possibilidade da cassação. O parlamentar afirmou que o assunto será tratado durante a sessão da câmara desta terça-feira, dia 14. O vereador do MDB disse que toda essa situação mancha a história de Urussanga.  Ouça na íntegra: 

 

 

Da Redação