Uma experiência diferente vivenciada em quatro rodas, viajando por todo o Brasil. Esta é a realidade de Evelise Batista Ribeiro, de 47 anos. Natural de São Paulo, a professora de inglês e de yoga já viveu cerca de 24 anos fora do país, passando pelos Estados Unidos, Itália, Inglaterra, Alemanha e Portugal. Agora, buscando testar seus limites e ter novas experiências na estrada, Evelise vive em um motorhome e viaja por vários lugares há quatro meses. Recentemente, esteve em Urussanga, aonde passou alguns dias no Parque Municipal. Toda essa mudança de vida iniciou a partir da sua vivência de já ter feito um  “mochilão” por Portugal. Pensando em fazer pelas regiões brasileiras, Evelise uniu esta ideia com o conforto, adquirindo um automóvel e adaptando como um motorhome.

Evelise participou do programa Ponto de Encontro e falou sobre suas aventuras fora do Brasil, além de contar todos os detalhes das experiências viajando a bordo de um motorhome. Ouça na íntegra:

Parte 01

 

Parte 02

 

Como chegou a Urussanga? Evelise conta que estava viajando quando passou pela cidade, por estar muito tarde e escuro, decidiu passar a noite na região. Evelise deixou seu automóvel estacionado no Parque Municipal, no qual passou alguns dias ali. “A sua vida se torna um pouco pública, porque você abre a porta e já está no mundo. Mas é isso, você também abre a porta e o sol já bate no seu colchão… então a vida pública e a privada tem só uma leve camada, que é só o carro”, comenta. Evelise completa dizendo que sempre escolhe lugares para estacionar e passar a noite conforme sua intuição, mas que sempre deixa avisado para as pessoas ou proprietários da região sobre quem é e por que está ali.

Evelise explica que não possui uma planejamento sobre quais lugares irá passar ou visitar, mas que tudo depende do seu sentimento. Sobre seus sustentos, Evelise esclarece que vive de seu trabalho, tanto da yoga como do inglês, dando aulas on-line. Além disso, possui suas economias e investimentos para que possa viver em quatro rodas. Para a aquisição do carro, um Fiat Doblò, Evelise conta que a história é um pouco engraçada. Isso porque ela comprou o veículo, e antes disso ele havia sido roubado, tendo só o banco do motorista ainda, indo assim para a locadora responsável. Com a ajuda de seus pais, de um casal de amigos colombianos e de outras pessoas, pouco a pouco o motorhome foi ficando completo.