A solução defendida pelo deputado estadual Marcos Vieira (PSDB) para facilitar a ligação do Planalto serrano com o litoral sul do Estado, um túnel na Serra do Corvo Branco, entre Urubici e Grão-Pará, ficou mais próximo de se tornar realidade na última semana com a autorização do governo do Estado para os primeiros estudos de viabilização do projeto (saiba mais aqui).

De acordo com o deputado, o escoamento da produção do Grande Oeste e Planalto Catarinense é prejudicado pela falta de um acesso para caminhões. “No Sul, temos a Serra do Rio do Rastro, a Serra do Corvo Branco, a Serra da Rocinha e a Serra do Faxinal, que não suportam o trânsito de caminhões pesados, portanto o escoamento da produção do Grande Oeste e do Planalto é feito em grande parte pelas BR-282, BR-280 e BR-470, altamente saturadas. Outro ponto importante a ser observado é que o Porto de Imbituba, que tem um dos maiores calados do Brasil e pode suportar os maiores navios, poderia ser melhor utilizado, criando um novo corredor de exportação e, em consequência, gerando uma onda de desenvolvimento em toda a região”, defendeu.

O deputado Marcos participou do programa Comando Marconi e explicou mais sobre o projeto em entrevista. Saiba mais na íntegra:

 

O deputado defende a construção como sendo uma das grandes obras viárias que podem transformar Santa Catarina. “Pode parecer muito, mas são três quilômetros de túnel que podem fazer uma grande diferença para o nosso Estado e, agora, o Governo do Estado, por meio do secretário de Infraestrutura Thiago Vieira, que já vinha fazendo estudos técnicos, autorizou que o projeto comece a sair do papel”, explicou o deputado. “Não é uma obra simples, tampouco de curto prazo, mas certamente fará toda a diferença no desenvolvimento do Estado nas próximas décadas, e esse também é o papel de um gestor público”, completou.

Projeto detalhado

Em palestra para vereadores de todo o Estado no início do mês, durante o congresso da Uvesc, na Assembleia Legislativa, Marcos Vieira detalhou como seria a obra. “O deputado demonstra um conhecimento do nosso Estado como poucos políticos e nos faz pensar realmente como Santa Catarina precisa agir para continuar a se desenvolver”, disse o vereador e presidente da Câmara de Concórdia Fabiano Caetano.

Colaboração: Giancarlo Baraúna / Assessoria de Comunicação