Os vereadores de Urussanga decidiram que os próximos prefeitos do município não receberão por férias que não forem aproveitadas. A decisão foi aprovada por unanimidade pelos nove parlamentares durante reunião da mesa diretora nesta segunda-feira (30). O motivo da votação é referente ao pagamento de quase R$ 80 mil de férias vencidas dos quatro anos do primeiro mandato do prefeito afastado, Luis Gustavo Cancellier (PP). Além dos próximos prefeitos, a decisão também abrange os secretários municipais. Conforme o presidente da Câmara, Odivaldo Bonetti (PP), a aprovação será encaminhada à Lei Orgânica do município para que a decisão seja válida.

Na última sexta-feira (27), o Ministério Público de Santa Catarina se manifestou oficialmente sobre o caso (leia aqui). O documento encaminhado recomendou que fosse providenciada a regulamentação da indenização pecuniária das férias não gozadas. Essa providência foi aprovada pela Câmara de Vereadores, na qual a mesma foi vedada o direito de indenização pecuniária. Bonetti explicou mais sobre o assunto durante entrevista ao programa Comando Marconi. Ouça na íntegra:

 

De acordo com Bonetti, uma emenda a Lei Orgânica será formulada até a próxima semana. Após isso, será encaminhado para a ordem do dia durante sessão na Câmara, no qual haverá duas votações para aprovação. Ao ser aprovado oficialmente, a decisão passa a ser lei definitivamente.

Da Redação