O dia 19 de agosto é lembrado por ser o Dia Nacional de Ciclismo. Em meio à uma prática que vem cada vez mais sendo vista, a importância do ciclismo, além dos benefícios a saúde, evidencia-se. Um dos importantes nomes da área é a Renata Falzoni, paulistana, que há mais de 45 anos usa a bicicleta como meio de transporte. “Há 45 anos eu estava estudando arquitetura, aí transformou muito a minha visão de ver a cidade, daí a gente vira ciclista e cicloativista. Quando você começa a viver a cidade, a acessar a cidade de forma ativa, muda muito o conceito de que para quê servem ruas: só para carros em alta velocidade ou para crianças, mulheres e para todo mundo?”, comenta.

Renata também é jornalista e afirmou que viveu grandes aventuras, principalmente por ser videorrepórter e trabalhar com imagens. A ciclista fundou o Night Biker’s Club do Brasil em 1989 e possui um site, o “Bike é Legal” (acesse aqui). Ativista da causa, Renata entregou uma bicicleta infantil ao então Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso. “Em 1998 entra o novo Código de Trânsito Brasileiro e pela primeira vez assumia a bicicleta como meio de transporte e coloca as leis a nossa preferência, do direito de estarmos na rua, na direita ou mesmo no box da pista, com preferência sobre todos os outros veículos. Isso foi muito importante, porque até então o código anterior ele só incluía a bicicleta em uma única placa para dizer que ela era proibida”, ressaltou Renata.

A ciclista Renata contou sobre a importância do dia comemorado nesta quinta-feira (19) e as principais lutas dos ativistas da área. Ouça a entrevista na íntegra realizada no Ponto de Encontro:

 

A ativista acrescenta que assim que saiu o novo Código de Trânsito Brasileiro, vários ciclistas realizaram uma campanha e foram pedalando de Paraty (Rio de Janeiro) a Brasília. O grupo chegou à capital exatamente no dia que o novo código entrou em vigor, em janeiro de 1998, sendo recebidos pelo Presidente Cardoso. “Para fazer uma provocação, nós demos uma bicicleta infantil ao presidente de uma nação que estava aprendendo a pedalar”, afirma.

Atualmente, por conta da pandemia, Renata deixou de pedalar todos os dias, mas garante que está retornando a velha rotina com a vacinação. A jornalista reforça sobre a importância de utilizar a bicicleta para a locomoção, principalmente por conta dos problemas causados com a quantidade de automóveis circulando nas ruas diariamente. “Eu faço um convite para hoje, percebam o ciclista, percebam o esforço que ele faz para uma cidade melhor, percebam o quanto ele é invisível, o quanto ele é frágil na cidade e no quanto ele faz bem para todos e todas na cidade”, frisa. “A inclusão social por trás do uso da bicicleta é muito notável”, completa.

Renata mantém em suas redes sociais e em seu canal no YouTube diversas dicas para os ciclistas. Saiba mais sobre sua história acessando seu perfil no Instagram e no Facebook.