Até o dia 23 de agosto, é possível se inscrever na formação continuada sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), realizado pelo grupo de apoio educacional AutismoS com o apoio do Colégio Marista Criciúma. O curso, presencial, gratuito e aberto à comunidade, também é certificado pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (Uniasselvi). As vagas são limitadas.

O objetivo, de acordo com Gelson dos Santos, docente especialista em Educação Inclusiva do colégio, é qualificar a comunidade escolar para práticas pedagógicas adequadas ao ensino inclusivo e que contribuam com o desenvolvimento de alunos no espectro. “A temática do autismo é desafiadora e muito significativa para uma proposta educativa contemporânea. Informar sobre ela forma cidadãos mais empáticos, respeitosos e conscientes de suas responsabilidades em tornar o mundo um lugar melhor para todos”, relata.

Para mais detalhes, ouça a entrevista abaixo:

 

O curso de formação começa dia 25 de agosto, terá carga horária de 20 horas e será dividido em seis encontros, que abordarão tópicos como a importância da parceria entre a escola e a família; integração sensorial; comunicação alternativa e as adaptações necessárias no ambiente escolar. É destinado a profissionais das áreas da saúde e da educação, familiares dos estudantes Maristas e demais interessados pelo assunto.

Para mais informações, acesse o link de inscrição.

Alta nos diagnósticos de autismo

Segundo o órgão de saúde Central of Disease Control (CDC), dos Estados Unidos, a prevalência do TEA aumentou de 1 caso a cada 150 crianças, em 2000, para 1 a cada 54 crianças, em 2020. Os dados se referem à população estadunidense, mas são utilizados como base por quem estuda o tema no Brasil.

Quem está no espectro autista, que compreende diversos níveis de intensidade, pode apresentar características como comportamentos repetitivos e dificuldade de comunicação verbal, socialização e de atenção. Em muitos casos, o TEA também está associado a quadros de comorbidades, com maior propensão a distúrbios do sono, epilepsia e comportamentos agressivos ou depressivos.

Os Colégios Maristas estão presentes no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br.

Leia também: Os desafios do ensino em tempos de pandemia

Colaboração: Luiza Lafuente Woellner dos Santos / Assessoria de Comunicação